Menu Fixo

Menu-cat

13 setembro, 2013

Contos nossos: Caçadora de Almas - Final




                  
                     Na madrugada a morte exibe os seus encantos ..
                                                                               ( Lya Luft)
              Quando se aproximou dos corpos de suas amigas , seu corpo estremeceu e seu coração foi tomado por sentimentos subversivos  ao ver a cena degradante e o estado em que elas se encontravam . Michelle e Paula estavam nuas  e totalmente ensanguentadas . Marta olhou ao seu redor na intenção de encontrar os infelizes que fizeram isso , e os avistou a 100m dali sentados próximo a um riacho  fumando ,  bebendo e rindo .  Ela imaginou que talvez eles  estariam esperando o outro amigo que ficou  ‘encarregado’ de lhe  violentar, não sabiam eles que o tal amigo não voltaria .
            Marta olhou mais uma vez suas amigas mortas no  chão , uma lágrima caiu de seus olhos , fitou mais uma vez aqueles garotos e seguiu ao encontro deles tomada por um ódio que ela mesma desconhecia . Ao se aproximar pisou em um galho , e logo os rapazes olharam para trás e a viram , porém Marta tentou  disfarçar perguntando-lhes se tinham visto suas amigas , eles responderam quem elas já tinham ido embora . Marta virou-se e disse-lhes : “resposta errada” , tirou rapidamente  da bolsa um punhal que sempre  carregava . Os gaiatos logo perceberam que ela já sabia do que ocorrera  , e então  escarneceram  da cara  dela ,  como era tamanha sua ousadia em pensar que poderia vencer os dois . Um deles tirou do bolso uma espécie de canivete e o outro partiu pra cima dela tampando sua boca e segurando suas mãos  , o outro segurando o canivete , pegou sua mão na intenção de cortá-las , quando ia retalhar , Marta deu-lhe um chute no meio das pernas  e ele com muita raiva e dor cortou-lhe um dedo .  Marta que conseguira soltar uma das mãos pegou novamente o punhal rapidamente e deu-lhe uma punhalada no coração . O outro rapaz que tampava sua boca soltou- a rapidamente e ameaçou correr , porém ela virou-se e com tamanho ódio perfurou todo o corpo dele com punhaladas  , parecia mais um filme de terror de tanto sangue  -  nem ela mesma reconhecia as atitudes que tomara .
            A noite já findava e o dia já estava porvir , Marta estava toda ensanguentada e totalmente desesperada com o que acabara de fazer , mas agora não podia recuar , lembrou que estavam muito próximos a um cemitério e teve a ideia de levar os corpos pra lá e os enterrar antes do findar da noite . Respirou fundo e foi levando corpo a corpo até o cemitério . Para sua surpresa/sorte  havia um buraco aberto próximo as catatumbas , ela mais que depressa foi jogando todos os corpos   lá dentro , depois os encobriu de terra.  Quando estava terminando ouviu o barulho e uma carro se aproximando ,a pobre coitada  já estava totalmente exausta mas precisava fugir dali , juntou toda força que sobrava e num súbito instante começou a correr entre as árvores até chegar a pista . E tamanha foi sua falta de sorte que deu de cara com o carro , mesmo assim ela não parou corria o mais rápido que podia e percebeu que o carro a seguia , seguiu então e direção as árvores , correu , correu , correu ao ponto de não se aguentar mais em pé e parou . Percebeu que já estava no meio da floresta novamente , e sem correr nenhum risco de ser pega por alguém ali sentou e pôs-se a chorar .

Até mais !
Lorraine Dobrovosk

Nenhum comentário:

Postar um comentário