Menu Fixo

Menu-cat

22 junho, 2014

Códigos de Sangue - Capitulo 10

    Códigos de Sangue -  Capitulo 10

CONTINUAÇÃO

- É claro – diz Danilo entrando no carro de Caio. – Nossa você me salvou. Vou ficar lhe devendo – diz Danilo.  – Prazer Danilo Dobac.
- Olha eu preciso entregar uma encomenda para o meu avô antes de ir para cidade – diz Caio.
- Sem problemas. Você já vai quebrar um galhão meu – diz Danilo.
- Mas o que você faz por essas bandas nessa chuva? – pergunta Caio.
- Eu estava conhecendo a vila – diz Danilo.
- Mas já estamos fora da vila. Estamos no limite da estrada, aqui só tem sítios  e muito mato. É perigoso ficar por aqui perdido – diz Caio.
- O que teria de perigoso por aqui? Vai falar que acredita em lobisomem, saci e mula sem cabeça? – pergunta Danilo. – Você está bem grandinho.
- Estou falando de cães do mato, eles atacam as pessoas e matam-nas – diz Caio fazendo tom de suspense.
- Que climão. Vamos por uma música – diz Danilo ligando o rádio, que toca um rock dos ano 80.

2ª CENA ( Manhã) ( Quarto de Bianca)

Felipe beija o rosto de Bianca.

- Para amor – diz Bianca, sonhando.
Felipe continua beijado-a, e acaricia seu rosto.
- Meu gostoso – diz Bianca.
Felipe a beija na boca.
- Eu te amo Caio – diz Bianca, deixando Felipe intrigado.
- Caio? – diz Felipe acordando Bianca.
-Felipe, seu idiota. Eu te mato – diz Bianca correndo atrás de Felipe pela casa.

3ª CENA ( Manhã) ( Casa dos Backer)

Danilo fica escutando música no carro.

- Pra que você trouxe um normal aqui? – pergunta Pérola.
- Se o vovô ver ele vai arrancar o seu pescoço – diz Plínio;
- Relaxem, pessoal. Ele trabalha com o pai da Rafa – diz Caio colocando os sacos dentro da casa.
- Pior ainda, todo mundo sabe que o povo do jornal são todos fofoqueiros – diz Pérola.
- Cadê o vô? – pergunta Caio.
- Ele foi caçar por aí – diz Plínio.
- Fala com ele que todas as armas que ele me pediu estão aí. Só ainda não sei o porque dele querer comprar todo esse arsenal – diz Caio.
- Ele está com medo de algo – diz Pérola.
- Ele está ficando gagá – diz Plínio.
- Depois eu falo com ele – diz Caio se despedindo.

De repente escutam-se uns barulhos de cão. Danilo não escuta pois escuta música dentro do carro. Plínio, Caio e Pérola sente um cheiro diferente.

- Vou tirar ele daqui – diz Caio indo em direção ao carro.

Ao mesmo tempo, vô Zé em forma de lobo é arremessado contra o carro.

- Meus Deus, o que é isso? – diz Danilo assustado, olhando o lobo gigante em sua frente.
- Tem frio na área. Você precisa se transformar – diz Plínio.
- Eu não posso, ele me verá – diz Caio.
- Porra, anda logo – diz Plínio apressando-o.


Um homem jovem de pela branca e cabelos alaranjados surge no meio deles.

- Sangue fresco – diz o vampiro correndo em direção de Danilo. Danilo sai de dentro do carro.
- Droga – diz Caio correndo atrás do vampiro e se transformando em lobo.

- Socorro – grita Danilo desesperado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário