Menu Fixo

Menu-cat

22 julho, 2014

Entrevista com Roney Moraes


 


Roney Moraes


Jornalista, Psicanalista e Professor membro da Academia Cachoeirense de Letras (ACL).









1.             Quais são suas referências culturais aqui no Espírito Santo/ Cachoeiro ? ( Música, arte, literatura)

Há várias. Posso, ao citar algumas, cometer uma injustiça, mas... Vamos lá! Na literatura, em poesia, Newton Braga, Athair Cagnin e Milena Paixão são os maiores. Temos outros, mas são os que me vêm no momento. Crônica, sem sombra de dúvida, Rubem Braga. Célia Ferreira é, na minha opinião e de muitos, a cronista desta geração. Nem me atrevo a me considerar cronista, sou um escritor de artigos. No teatro, cinema e música temos muita gente interessante e fazendo um trabalho bacana. A Escola de Teatro Darlene Glória, o pessoal do Cineclube Jesse Valadão. Na música, Amélia Barreto, sem falar nas releituras de Sérgio Sampaio.


2.             Qual foi a sensação de ser homenageado com a “Comenda Rubem Braga”? E o que essa homenagem significa para um escritor capixaba?


Fiquei muito feliz com a indicação, não só a minha, mas de grandes amigos aqui de Cachoeiro e do Estado. Ser homenageado na Assembleia Legislativa com a comenda Rubem Braga demonstra que, mesmo aos trancos e barrancos, estou no caminho certo. 

Acho que a homenagem veio por conta da minha insistência em ser mais um agente cultural no meio de tanta dificuldade estamos sempre batalhando para divulgar as artes, não só a literatura, mas outras expressões também.


3.             O que faz você ler um blog/ post /?


Tem que ter algum assunto do meu interesse. Uma boa crônica, notícia, artigos de especialistas, principalmente na área da psicanálise. Mas leio de tudo.


4.             Você acha que o as obras de ficção e a fantasia tem espaço na literatura capixaba?


Sim. A dificuldade é para todos. Talvez o cronista e o poeta tenham um espaço menor ainda. Livros destes gêneros não são agradáveis às editoras comercialmente, já romances e ensaios temáticos têm muito mais espaço.


5.             Como é a rotina de um editor? O que leva a publicar um texto/artigo?


 Hoje, não atuo mais com edição. Meu trabalho com a clínica psicanalítica não permite. Faço meus próprios textos e os submeto ao crivo dos editores nos jornais e revistas que colaboro, mas é um trabalho de muita leitura e experiência. para ser um editor é necessário passar por todos os estágios da redação e também ser criativo. Não é fácil lidar com o texto dos outros.

6.             Você assiste séries? Quais?
  
Assisto várias: Criminal Minds, Lie To Me, House, Game of Thrones, Psi, Sessão de Terapia... Adoro animes e mangás também.

7.           RAPIDINHAS

Livro favorito: "Menos que Nada", de Slavoj Zizek.
Autor favorito: Rubem Braga.
Gênero musical favorito: MPB e um pouco de Rock.
Filme favorito: O Poderoso Chefão parte II
Série favorita: House

              
  EQUIPE “ELEA”

Nenhum comentário:

Postar um comentário