Menu Fixo

Menu-cat

30 agosto, 2014

Iluminados - 2 Episódio


Lúcia e Rafael chagaram atrasados na escola, e a Srta. Marvela, a coordenadora do colégio, deu-lhes uma bronca. Os dois seguiram correndo para suas respectivas salas. Lúcia tinha prova marcada para a primeira aula e seu pai já deveria ter começado a aula, pois sua turma estava toda tumultuada por estar sem professor.
Quando Lúcia chegou a sua sala, sentiu a mesma presença que havia sentido na madrugada, e percebeu um novo aluno. Ficou parada na porta observando ele. Jamais tinha visto um menino tão lindo.

O professor virou-se para ela e disse:

- Está difícil achar seu lugar, Lúcia? A hora está passando e você não vai conseguir fazer a prova a tempo.

- An? Lúcia disse meio perdida.

- Seu lugar. Prova. Tic Tac. Respondeu o professor impaciente.

Ela foi para sua mesa e começou a prova, o sino logo tocou, e mesmo atrasada Lúcia conseguiu terminar a tempo. As aulas passaram rapidamente, e durante elas, ocorriam trocas de olhares entre Lúcia e o novo aluno. O professor de Lúcia encarregou ela de mostrar a escola ao novo garoto, uma vez que era a líder da turma.
Morrendo de fome, Lúcia o puxou até o refeitório, nem perguntando ao menos seu nome. Pegaram o lanche e sentaram-se à mesa mais próxima.

- Desculpe a minha pressa. Disse Lúcia dando uma mordida em seu sanduíche. Meu nome é Lúcia e o seu?

- Tudo bem, você parece estar faminta. Meu nome é Diego.

Disse ele, num sorriso que deixou Lúcia encantada. Eles conversaram sobre vários assuntos, e se divertiram. Quando o intervalo acabou, ela estava levantando para ir para sala, mas Diego segurou sua mão e a puxou de volta para a cadeira.

- O que foi isso? Perguntou ela.

- Nada, mas vamos dar um tempo aqui, gostei tanto de você, depois entramos para sala.

Lúcia, com o pé atrás, aceitou o convite do garoto. Ela havia se esquecido de que a próxima aula era de seu pai. Quando Rafael chegou a sala e não viu a filha, perguntou aos outros alunos onde ela estava, responderam que não a viam desde o intervalo. Rafael, furioso, saiu da sala e foi procurá-la. Andou as pressas pelos corredores da escola. Chegou ao refeitório e viu os dois lá. Sentiu uma angustia. Percebeu que o menino que estava com sua filha era um deles, um dos demônios. Com o coração acelerado, gritou os dois, ordenando que fossem já para a aula. Rafael estava perdido, a guerra estava a caminho.



      Por : Marcus Vinícius Costa , ganhador do reality O Roteirista/ 2014.

24 agosto, 2014

Amnésia - Episódio 1


Ele abriu os olhos devagar, tentando absorver as informações que chegavam ao seu consciente. A luz forte do céu azul o cegou por alguns instantes. Pra se acostumar à claridade, ele piscava na esperança de não perder nenhum detalhe do que estava sendo apresentado a ele naquele momento. Ele tentou se mexer, seu corpo doía da ponta da unha do dedão até o fio de cabelo mais comprido em sua cabeça. Com dificuldade, ele se ergueu e permaneceu sentado. Daí percebeu onde estava.

Uma clareira grande no meio de uma floresta, uma mata não tão fechada. Ao longe avistou prédios e altas construções. Ao ficar de pé, notou como estava vestido – uma camisa branca já surrada com alguns rasgados, suja de lama, uma calça brim cinza nas mesmas condições da camisa, uma gravata mostarda amassada e imunda e os pés no chão frio e úmido. Observou, com olhos mais atentos, a clareira em que se encontrava. Pelos rastros no chão, ele havia sido arrastado para cá, enquanto ainda estava inconsciente. Notou algumas pegadas, diferentes das dele. Tentou se lembrar de como viera parar ali. Mas nada vinha em sua mente. Nem de onde viera, nem pra onde devia ir, nem sequer quem ele era.

Entre Nós

 
   Entre Nós

Brasileiro


Classificação: 16 Anos

Gênero: Drama

Ano: 2014

Entre Nós, é uma obra cinematográfica brasileira,  ao redor de inúmeros obras nacionais de comédia e outras muitas de ação, “Entre Nós” trouxe uma nova temática quanto a produções nacionais. O filme traz no elenco atores conhecidos como Caio Blat (Felipe), Carolina Dieckmann (Lucia), Maria Ribeiro (Silvana) e Paulo Vilhena (Gus). Além das carinhas poucas conhecidas mas com atuações belíssimas de Martha Nowill (Drica), Julio Andrade (Cazé) e Lee Taylor (Rafa).

A história de sete jovens amigos escritores, que passam o final de semana em uma casa de campo para celebrar a comemoração do primeiro livro do grupo.  Neste mesmo final de semana o grupo decide fazer uma “capsula do tempo”, ou seja escrevem em pequenos papéis recados para que dez anos depois possam juntos ler suas mensagens. Infelizmente, acontece um acidente e Rafa ( Lee Taylor) acaba morrendo e o grupo somente de reúne depois de dez anos.


O filme gira em torno desse reencontro dos amigos, suas expectativas quanto a amizade, relações amorosas, o sucesso profissional e segredos revelados. O filme possui uma fotografia muito bonita, que deixa as cenas esteticamente lindas. O tom dramático que norteia o texto é excêntrico, o tom dos diálogos, o ritmo das falas e a pegada dramática são irreverentes. Apesar de momentos de lentidão, a obra em si apresentou uma linda sequencia poética de falas e atuações. Um filme para ser assistido com um olhar sensível e admirado com o coração. 


17 agosto, 2014

Códigos de Sangue - Capitulo 18


                  CONTINUAÇÃO

CONTINUAÇÃO

O fogo se alastra pela lanchonete. 
     As lâmpadas estouram com o fogo.
- Vamos! Saiam todos daqui – diz Marcelo.
- Vamos pessoal – diz Alfred embriagado.
Marcelo pega Alfred no colo e o tira da lanchonete. Os convidados saem correndo da lanchonete.
- Danilo cadê a Bianca? – pergunta Felipe.
- Ela ...ela ... ela está lá fora. Anda vai ficar com ela – mente Danilo.

Felipe sai a procura de Bianca.

2ª CENA

- Preciso salvar a Bianca – diz Danilo correndo até Caio.
- Caio, a Bianca ficou presa lá dentro. Ela precisa de ajuda – diz Danilo.
A fumaça toma conta do lugar.
Caio chuta a porta do caixa da lanchonete. Caio fica tonto e bambeia.
- Caio? – grita Danilo procurando Caio no meio da fumaça preta.
-Tem algo bloqueando minha força. Acho que são flores, copo de leite especificamente, ela tira a força de qualquer lobisomem – explica Caio.
Bianca grita.
- Ela não pode morrer – diz Danilo.
- Salve ela. Você é um vampsomem, tem a genética de dois organismos. Você tem força – diz Caio.
Danilo pula o balcão do caixa e entra na sala de dentro. Danilo encontra Bianca desmaiada e a pega no colo.

3ª CENA

Lívia junto aos demais convidados tenta apagar o incêndio com baldes de água.
- Minha lanchonete – grita Lívia desesperada.
- Droga, os bombeiros da cidade vizinha não chegarão a tempo – diz Marcelo. – Droga – diz Marcelo correndo até a viatura e se comunicando com as outras viaturas.
Felipe procura Bianca, enquanto Renato procura Danilo.
- Bianca – grita Felipe.
- Caio – grita Rafaela apavorada.
 Caio aparece.
- Felipe, a Bianca ficou presa lá dentro – diz Caio. – Mas, o Danilo foi tentar tirá-la de lá – conta Caio.

Danilo sai do incêndio carregando Bianca no colo.

Códigos de Sangue - Capitulo 17

      
                             CONTINUAÇÃO ...

- Pai, para com isso – diz Rafaela repreendendo e o segurando.
- Ele estava tentando estrangular o Guilherme – diz Renato.
- Já acabou. Guilherme vai para casa – ordena Danilo.
Sávio aproxima.
- Vamos meu brother. Vamos para um lugar melhor que essa espelunca – diz Sávio, embriago de vinho.
Sávio retira Guilherme da lanchonete.
- Ainda bem que o Marcelo não viu nada Doutor Renato. Senão você estava encrencado – diz Bianca. – Sempre causando confusão – diz Bianca.
- Vamos cortar o bolo? – interrompe Rafaela.
- Vamos – diz Danilo animado, chamando todos.
Todos cantam parabéns. Renato sopra a vela do bolo.
- Eu quero agradecer a presença de todos vocês. Agradecer minha filha que ela é a razão do meu viver. E agradecer a uma pessoa especial que junto com a Bianca planejou tudo isso. Obrigado Danilo – diz Renato.
Bianca morre de ciúmes.
- Na verdade Renato quem organizou tudo foi a Bianca. Ela é a verdadeira organizadora, eu só ajudei com alguns pequenos detalhes – mente Danilo.
- Obrigado – diz Renato.

                         2ª CENA

Lívia e Rafaela se aproximam de Danilo.
- Como assim ela que organizou tudo? – pergunta Lívia.
- Mentiroso, deixa meu pai descobrir – diz Rafaela.
- Ah, ela precisava desse “up” gente. A Bianca é muito amargurada – diz Danilo vendo Renato e Bianca abraçados.
Bianca passa perto deles.
- Ah, Danilo ... é ... Eu vou pegar o presente do Renato – diz Bianca sem graça.
Bianca sai.
- Ela é muito cara de pau. Rafaela me ajuda a cortar o bolo – pede Lívia, que sai com Rafaela.

                          3ª CENA

Caio se aproxima de Danilo.
- Oi – diz Caio, meio seco.
- Resolveu falar comigo? – pergunta Danilo. – Fico feliz.
- O Vô Zé sente sua falta, ele gostaria que você fosse visita-lo – diz Caio.
- Será que eu serei bem recebido? – pergunta Danilo.
- Foi mal te tratar daquele jeito. Para mim é tudo muito maluco, sabe? Descobrir que tenho um irmão, que minha mãe traiu meu pai, que minha mãe não morreu em um acidente de avião. Muita mentira – diz Caio.
- Eu te entendo – diz Danilo. – Irmãos então? – Danilo estende a mão.
- Irmãos – diz Caio apertando sua mão.

                                    4ª CENA

Alfred bebe cerveja e sobe em cima da mesa. Nanda observa. 
- Alfred desce da mesa. Todos estão olhando – repreende Nanda.
- Deixa todo mundo olhar. Me deixa ser feliz – grita Alfred.
Marcelo vê Alfred em cima da mesa.
- Alfred, desça de cima dessa mesa agora. Escute sua irmã e vá para casa – diz Marcelo.
As luzes da lanchonete apagam. As fiações elétricas pegam fogo e alastrasse rapidamente para o restante da cozinha da lanchonete. As pessoas saem correndo.
- Calma vamos ter calma pessoal – grita Marcelo.
  A aparelhagem de som estoura.

BUUUUUUUUUUUM. 

Códigos de Sangue - Capitulo 16

    Códigos de Sangue -  Capitulo 16
                                          CONTINUAÇÃO

- Deixa o Renato cumprimentar o restante dos convidados – diz Bianca entrando no meio dos dois e levando Renato para falar com os outros convidados.
- Felipe som na caixa – diz Danilo.
Danilo liga a música. E todos dançam.

2ª CENA
Marcelo se aproxima de Luiza.
- Me daria essa honra? – convida Marcelo.
- Só porque hoje é uma data especial – diz Luiza pegando a mão de Marcelo.
- Você está cada dia mais bonita – diz Marcelo.
- Sem cantadas baratas, por favor. Já não estamos mais no colegial – diz Luiza.
- Eu me arrependo todos os dias de não ter sequestrado você – diz Marcelo.
- Eu fui sequestrada antes – diz Luiza.
- Não sei o que você via no Vitório – diz Marcelo.
- Vamos mudar de assunto – diz Luiza.

3ª CENA
Lívia coloca a bandeja no balcão e fica ao lado de Danilo.
- A festa está maravilhosa. Se por acaso você desistir da carreira de jornalista me ligue para montarmos uma casa de festa – diz Lívia.
- Ah, até parece. Você me ajudou em tudo. Você tem mãos de fada – diz Danilo abraçando Lívia.
Ricardo aproxima dos dois.
- Dança comigo? – pergunta Ricardo para Lívia.
- Ricardo eu estou trabalhando. Não posso dançar – diz Lívia.
-Claro que pode. Pode deixar que eu cuido de tudo. Divirta-se – diz Danilo empurrando Lívia. Ricardo segura nas mãos de Lívia.

4ª CENA
Felipe coloca uma música romântica.
Caio e Rafaela dança e veem Ricardo e Lívia dançando.
- Olha quem está aqui – diz Rafaela.
- Meu pai? Dançando com a Lívia? – se espanta Caio.
- Ah, que fofo. Formam um casal lindo – diz Rafaela.

5ª CENA
Sávio bebe uma taça de vinho, Guilherme aproxima dele.
- Como eu volto ao normal? – pergunta Guilherme.
- Colé brother – diz Sávio embriagado.
- Eu tô falando sério, cara. Meu corpo está gelado e eu não paro de sentir frio – diz Guilherme.
- Relaxa! Hoje à noite depois da festa nós vamos caçar. Ah, toma vinho ajuda a enganar o organismo. O único jeito de você voltar ao normal é me matar. Mas não vai conseguir, pois eu não fui mordido eu já nasci vampiro. Meu pai era vampiro. Ou se você por acaso tomar do sangue raro – explica Sávio embriagado.
Felipe fotografa a festa.
Nanda se aproxima de Sávio.
- Sávio, você já está chapado. Vamos para casa – reclama Nanda.
- Me deixa – diz Sávio bebendo outra taça de vinho.

6ª CENA
Guilherme se aproxima de Danilo.
- Um copo de vinho por favor – pede Guilherme.
- Pensei que você fazia o tipo boa linha – diz Danilo dando-lhe uma taça.
Guilherme bebe o vinho.
- Eu engano direitinho – diz Guilherme olhando o pescoço de Danilo. – Seu colar é magnífico – diz Guilherme passando as mãos no pescoço de Danilo e ficando por traz dele.
- Obrigado Doutor. Mas acho que uma taça já lhe alterou – diz Danilo tirando as mãos dele do pescoço.
Guilherme cheira o pescoço de Danilo.
- Doutor você está me assustando – diz Danilo.

- Vai falar que você não gosta. Da pra escutar seu coração acelerado por conta do meu toque – diz Guilherme colocando novamente as mãos no pescoço de Danilo e apertando.
- Me solta antes que alguém veja – pede Danilo amedrontado.

- Tira a mão dele agora – diz Renato que soca Guilherme que cai no chão.

Iluminados

                          
    Iluminados  

Episódio 1   

    Era uma madrugada, parecia tudo normal, como todas as outras madrugadas. O silêncio era o mesmo, corrompido apenas pelo som dos grilos, a escuridão era mesma, sombria como sempre foi. Mas dessa vez algo estava diferente. Um vento gélido soprou, abrindo a janela, e arrepiando todo o seu corpo, Lúcia acordou no mesmo instante, sentiu algo jamais havia sentido, ela era uma menina bastante corajosa, mas estremeceu-se nesse dia, sentia a presença de alguém em seu quarto. Amedrontada, calçou suas pantufas, acendeu a luz, olhou o quarto inteiro a procura do alguém dono da presença sentida antes, mas nada encontrou. Fechou a janela, e certificou-se de trancá-la dessa vez, apagou a luz, voltou à cama e se pôs a dormir.

- Bom dia meu bebê. Disse Rafael, abrindo a janela e deixando a claridade entrar. Sua mãe já está lá em baixo com o café pronto, apronte-se logo e vamos para escola.
- Esta bom pai. Já estou descendo. E também amo você. Ela estanhou o pai falar isso, pois não era nada comum isso acontecer.

Rafael deu um beijo na testa da filha e disse que a amava e jamais deixaria mal algum acontecer à ela, e desceu para preparar as coisas da aula. Ele era professor de História na escola da filha, havia escolhido dar aulas para poder ficar perto de Lúcia e protegê-la, mesmo quando não estavam em casa. Eles moravam em uma fazenda, nos arredores de Londres, e ficava a 30 minutos do centro da cidade, onde se localizava a escola.
Lúcia desceu, tomou o café, apanhou sua mochila e ia para o carro, onde seu pai já a esperava, mas sua mãe a chamou e ela voltou perguntando:

- O que foi dona Mabel? Já estamos atrasados, fale logo. E sorriu, para parecer uma brincadeira, pois sua mãe não gostava que ela a chamasse desse jeito.

- Não é nada meu amor, só venha aqui e me de um abraço. Disse abrindo bem os braços.

Elas se abraçaram, Mabel deu um beijo em sua filha e disse que a amava muito, e que faria de tudo para protegê–la.

- Eu também te amo mãe. Disse Lúcia, estranhando também a atitude da mãe.

Ela seguiu para o carro e então juntamente com o pai foram em direção da escola. Lúcia queria contar sobre o que havia ocorrido na madrugada, mas seus pais estavam muito estranhos e achou melhor não tocar no assunto.
Seguiram em silêncio durante quase todo o percurso, quando de repente Rafael vê alguém parado na estrada em frente ao seu carro, desesperado desviou o carro jogando-o para o acostamento de uma forma brusca até que o carro parou. Ele olhou para trás e não viu ninguém, colocou a cabeça sobre o volante e disse em um tom de nervosismo:

- Não pode ser, não já. Eu não a preparei para isso ainda, eu falhei.

Lúcia estava quieta, não havia entendido o que acabara de acontecer e então perguntou:

- O que foi isso pai? De quem você desviou? Eu não vi ninguém na estrada. E levou a mão à cabeça, olhou para ela e viu sangue, havia batido ela no momento do incidente.

- Eu achei que tinha visto alguém, me desculpe. Tenho que lhe contar algo que já devia ter lhe contado.

Ele levou sua mão até o machucado da filha, uma luz saiu dela e então a ferida havia se curado.

- O que é isso? Disse Lúcia assustada.

- Lúcia, minha querida filha, eu deveria contar isso junto com sua mãe, mas vejo que a hora chegou, e não a mais tempo para adiar essa conversa. Minha filha, eu sou um anjo. Vim a Terra há muitos anos atrás para uma batalha contra os demônios, eu e meus companheiros saímos vitoriosos dessa luta, mas eles prometeram voltar, e começar uma nova guerra. Eu e alguns outros anjos, nos apaixonamos por mortais, como a sua mãe e não pudemos mais voltar para o reino dos céus, e do meu amor por tua querida mãe, nascestes tu, uma filha de anjo com um humano: uma nefilim. E eles estão atrás de você e de outros nefilins para se fortalecerem para a grande batalha que se aproxima, elas os querem para usufruírem dos seus poderes.

- Mas pai, eu não entendo, eu não tenho poderes.

- Tem sim minha pequena Lúcia, só não os descobriu ainda, eles se revelam no décimo sexto aniversário, e você sendo minha filha, filha do Arcanjo Rafael, o anjo da cura, tem poderes como os meus, e isso é extremamente importante para eles e para nós em uma batalha, agora mais do que nunca eu tenho o dever de te proteger meu amor.

Eles voltaram para a estrada e foram para escola, já estavam muito atrasados e não podiam deixar que aquilo parasse suas vidas.


               Por : Marcus Vinícius Costa , ganhador do reality O Roteirista/ 2014.

14 agosto, 2014

Entrevista com Lucas Arruda

                     Entrevista com Lucas Arruda


                       
Vici-Campeão no Reality – O Roteirista 2014

1 – Qual foi a sensação de participar de um reality ?

A sensação é excelente, entrar em contato com pessoas que amam o mesmo que você, que amam escrever que fazem disso uma terapia, ou que escrevem por hobbie ou por profissão é ótimo, porque te desafia a melhorar sempre mais e a conhecer novas formas de se trabalhar com aquilo que gostamos de fazer.  

2 – Você acha que o reality lhe incentivou a escrever mais ?

 Sem dúvidas. E não é só isso. Mas também como a escrever tipos de textos diferentes que eu não estava acostumado a escrever, e acho que isso é um crescimento muito grande para mim como escritor.

 3 – O que você gosta no blog Entrelinhas & Afins?

A oportunidade de se criar reality shows dessa forma com a finalidade de se buscar valorizar quem escreve e de descobrir novos talentos me atrai muito no blog.

4 – Se você ganhar? O que pretende escrever para o blog ?

Pretendo escrever o que mais gosto, histórias que vivem presas no mundo que é minha imaginação. Escrevo quando não consigo expressar com ações aquilo que sinto, e acho que os leitores do blog ficariam muito interessados no que eu tenho pra contar.

5 – Porque você deve ganhar? Qual o seu diferencial ?


 Todos como escritores, apesar de termos nossas inspirações e nossos moldes, somos diferentes, esse é o diferencial de todo mundo, e é por esse motivo que todos deveriam ganhar, pois cada um tem uma história legal esperando pra ser ouvida.

PROVAS REALITY


VENCEDOR DO REALITY


 Depois de 4 provas, 7 participantes e mais de 1 mês de batalha de textos, a nossa “ Batalha Literária”, chegamos ao nosso RESULTADO FINAL. Tivemos duas sinopses muito bem escritas e com primeiro episódios muito bem construídos, as provas foram muito bem elaboradas.

 Lucas Arruda, ganhador da Prova 4, montou uma sinopse muito bem amarrada com o suspense de “Amnésia”, uma trama adulta, rodeada de mistérios, com explicita cena ( bem escrita) de erotismo,e um gancho muito bem desenhado desde da primeira linha do episódio. Com uma leitura não-linear deixou o clima de mistério nas linhas muito interessante. Lucas, cresceu muito dentro do reality.  Lucas possui uma imaginação muito fértil – E ISSO É BOM – e esse leva jeito pra “coisa”.

 Quem também evoluiu muito dentro do reality foi Vinícius Costa, ganhador de duas provas super disputadas. Vinicius foi um dos maiores destaques dentro do reality, sempre muito pontual e preocupado com os tempos de entrega das provas. Sua sinopse/ web “ Iluminados” , foi muito bem elogiada como “A história dele estava muito bem escrita e com coesão.E despertou -me muito interesse em ler o restante” também o tema foi muito bem aceito, a questão de anjos x outros seres tema ótima aceitação. Seguiu o formato perfeitamente, requisito muito importante dentro do reality. Além disso, o participante veio traçando uma excelente trajetória dentro do reality.

Só para lembrar/ destacar o REALITY teve/ tem como objetivo DESPERTAR O GOSTO PELA ESCRITA e INCENTIVAR para que mais escritores abram suas    “ cacholas” e escrevam.  

OBS : As  web-séries dos dois participantes serão postadas e exibidas no blog. 

Parabéns !!!! 
Obrigado EQUIPE "ELEA". 

            

               O Vencedor foi ....

PROVA 1 – ( Sinopse) – Keven

PROVA 2 ( Resenha de Livro) - Marcus Vinícius Costa

PROVA 3  (Resenha Fílmica ) - Marcus Vinícius Costa

PROVA 4 – ( Dica de Série) - Lucas Arruda

PROVA 5  ( 1ª Episódio de uma Web-Série )  - Marcus Vinícius Costa





                 Marcus Vinícius Costa – VENCEDOR DO REALITY !!!

03 agosto, 2014

Batalha Literária - Prova 4



    Dica de Série: Baby Daddy


Baby Daddy é um sitcom americano. Ben vive com o irmão, Danny e o amigo Tucker em um apartamento. Suas vidas começam a mudar quando a bebê Emma é deixada na porta de sua casa. É interessante o fato de abordarem a gravidez indesejada de uma maneira cômica e sem, de fato, ser o assunto central da série. Mostra de uma maneira espontânea como Ben e sua família se adapta a essa nova vida.

A cada episódio, algo novo acontece. Não é sempre a mesma coisa, igual a muitos seriados. A espontaneidade e irreverência da mãe de Ben, Bonnie, o amor reprimido de Riley por Ben e de Danny por Riley e as estripulias de Emma dão, à série, um charme que, há muito, eu não via em sitcom’s. Vale muito a pena assistir às idas e vindas dessa família que, a cada episódio, tende a aumentar e a nos cativar cada vez mais.

Por : Lucas Arruda, participante e ganhador da 4ª prova do reality O ROTEIRISTA. 



02 agosto, 2014

O Terceiro Travesseiro

 O Terceiro Travesseiro conta a história de Marcus, um rapaz que aos 16 anos se descobre homossexual ( Confesso, quando peguei o livro não tinha ideia da história) não foi uma descoberta fácil, em plena adolescência uma fase da vida que já não é fácil teve que enfrentar seus medos e anseios da puberdade.
    Marcus se apaixona por um outro rapaz, e junto vem a dúvida, será que o outro irá ou não corresponder aos seus sentimentos, e se for correspondido como agir perante as outras pessoas, como contar aos pais, amigos, familiares. (A narrativa do livro é muito rápida mas é fácil se localizar nos fatos e escolher um lado da história). A narrativa da obra é em 1ª pessoa, Marcus narra todo seu drama, sem pudor, sem trava na língua e com bastante ousadia.  

  O livro é bem sagaz, não é nenhum romance de sessão da tarde, é uma história conturbada, cheia de clímax e principalmente apaixonante. O que me surpreendeu no livro foi ler em um livro palavrões que escuto no dia a dia, mas foi algo que me cativou do inicio ao fim. Espero que um dia produzam uma obra fílmica do livro “ O 3ª travesseiro” acredito que milhares de leitores iriam adorar. Para destacar, não são somente os homossexuais que lêem a obra, muitos heteros também leram a obra de Nelson Luiz de Carvalho. OBS: O final é triste prepara-se para chorar. Já as pitadas de erotismo permeiam por todo o livro, em muitas cenas Marcus detalha intimidades e peculiaridades de relações sexuais, não só por isso mas por todo o enredo O 3ª travesseiro é um exemplo de Literatura Homoerótica. Abaixo, segue alguns trechos do livro, com pitadas de erotismo.




“Fiquei curtindo a música e imaginando como seria estar tomando banho junto com Renato. O barulho da água do chuveiro, a música, o uísque ... a minha imaginação me deixou excitado. ( Pág. 19)

“ Eu fiz com que ele ficasse de bruços. Que bundinha! Comecei então a massageá-la suavemente, para só depois beijá-la de todos os jeitos que o meu tesão pedia”. ( Pág. 20)


“ Viajei legal quando ele, ainda me beijando, enfiou a sua mão por dentro do meu agasalho e começou a me bater uma punheta”. ( Pág. 67).

“ Você gozou e apagou, cara. Depois disso tirei sua camisa para não amassar e, nus, dormimos abraçados. ( Pág.185)


01 agosto, 2014

Pitadas de Erotismo: Série "True Blood"

A série é exibida pela HBO, e já conhecemos a fama dessa emissora com suas grandes pitadas de erotismo.

Ela passa-se em uma nova era de evolução científica, onde os vampiros conseguiram deixar de ser monstros lendários para se tornarem cidadãos comuns. Essa mudança, que aconteceu do dia para a noite, deve-se a cientistas japoneses, que inventaram um sangue sintético, fazendo com que os humanos deixassem de ser o seu prato principal. Já os humanos ainda não se sentem totalmente seguros convivendo lado a lado com toda a legião de vampiros que está saindo de seus caixões. 





Ao redor do mundo, cada um escolheu o seu lado a favor ou contra essa revolução, mas numa pequena cidade de Lousiana, chamada Bon Temps as pessoas ainda estão formando a sua opinião. Sookie, garçonete de um pequena lanchonete, tem o poder de ouvir os pensamentos das pessoas e não vê problemas na integração desses novos membros à sociedade, principalmente quando se trata de Bill Compton, um atraente vampiro de 173 anos de idade. Mas ela pode vir a mudar de opinião, à medida que desvenda os mistérios que envolvem a chegada de Bill a sua cidade.




Ao longo da série, vê-se muitas cenas de sexo explícito. Ela contém cenas de sexo de homem com mulher, homem com homem e mulher com mulher. Realmente, há muito erotismo. Não é recomendável para menores de 18 anos e nem para assistir perto dos pais, pode causar contrangimento, rs.