Menu Fixo

Menu-cat

17 agosto, 2014

Códigos de Sangue - Capitulo 17

      
                             CONTINUAÇÃO ...

- Pai, para com isso – diz Rafaela repreendendo e o segurando.
- Ele estava tentando estrangular o Guilherme – diz Renato.
- Já acabou. Guilherme vai para casa – ordena Danilo.
Sávio aproxima.
- Vamos meu brother. Vamos para um lugar melhor que essa espelunca – diz Sávio, embriago de vinho.
Sávio retira Guilherme da lanchonete.
- Ainda bem que o Marcelo não viu nada Doutor Renato. Senão você estava encrencado – diz Bianca. – Sempre causando confusão – diz Bianca.
- Vamos cortar o bolo? – interrompe Rafaela.
- Vamos – diz Danilo animado, chamando todos.
Todos cantam parabéns. Renato sopra a vela do bolo.
- Eu quero agradecer a presença de todos vocês. Agradecer minha filha que ela é a razão do meu viver. E agradecer a uma pessoa especial que junto com a Bianca planejou tudo isso. Obrigado Danilo – diz Renato.
Bianca morre de ciúmes.
- Na verdade Renato quem organizou tudo foi a Bianca. Ela é a verdadeira organizadora, eu só ajudei com alguns pequenos detalhes – mente Danilo.
- Obrigado – diz Renato.

                         2ª CENA

Lívia e Rafaela se aproximam de Danilo.
- Como assim ela que organizou tudo? – pergunta Lívia.
- Mentiroso, deixa meu pai descobrir – diz Rafaela.
- Ah, ela precisava desse “up” gente. A Bianca é muito amargurada – diz Danilo vendo Renato e Bianca abraçados.
Bianca passa perto deles.
- Ah, Danilo ... é ... Eu vou pegar o presente do Renato – diz Bianca sem graça.
Bianca sai.
- Ela é muito cara de pau. Rafaela me ajuda a cortar o bolo – pede Lívia, que sai com Rafaela.

                          3ª CENA

Caio se aproxima de Danilo.
- Oi – diz Caio, meio seco.
- Resolveu falar comigo? – pergunta Danilo. – Fico feliz.
- O Vô Zé sente sua falta, ele gostaria que você fosse visita-lo – diz Caio.
- Será que eu serei bem recebido? – pergunta Danilo.
- Foi mal te tratar daquele jeito. Para mim é tudo muito maluco, sabe? Descobrir que tenho um irmão, que minha mãe traiu meu pai, que minha mãe não morreu em um acidente de avião. Muita mentira – diz Caio.
- Eu te entendo – diz Danilo. – Irmãos então? – Danilo estende a mão.
- Irmãos – diz Caio apertando sua mão.

                                    4ª CENA

Alfred bebe cerveja e sobe em cima da mesa. Nanda observa. 
- Alfred desce da mesa. Todos estão olhando – repreende Nanda.
- Deixa todo mundo olhar. Me deixa ser feliz – grita Alfred.
Marcelo vê Alfred em cima da mesa.
- Alfred, desça de cima dessa mesa agora. Escute sua irmã e vá para casa – diz Marcelo.
As luzes da lanchonete apagam. As fiações elétricas pegam fogo e alastrasse rapidamente para o restante da cozinha da lanchonete. As pessoas saem correndo.
- Calma vamos ter calma pessoal – grita Marcelo.
  A aparelhagem de som estoura.

BUUUUUUUUUUUM. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário