Menu Fixo

Menu-cat

14 outubro, 2014

Os sete pecados: vaidade

       Gostava de cantarolar versos de Kurt Kobain. Ísis era considerada por muitos roqueira nata, daquelas que se vestem com roupas pretas e acessórios pontiagudos e era a ovelha negra da família. 
       


       Seus pais eram muito religiosos e sua irmã mais velha, ministra da palavra na igreja católica do bairro onde moravam. Era uma família de classe média alta. O pai era dono de uma loja de artigos esportivos e a mãe não trabalhava, só ajudava o marido se acordava de bom humor.
       
       Ísis não se encaixava muito bem nem na sociedade e nem em sua família. Era de poucos amigos. E os poucos que tinha, já haviam se mudado para cursar faculdade em uma instituição federal fora da cidade, pois onde eles moravam não havia nenhuma.
       
       A mãe de Ísis, Dona Stela, era vista como a mais rígida em questões religiosas do bairro e tinha certa vergonha da filha.
Certo dia estavam todos juntos na sala de jantar saboreando uma lasanha, prato feito pela secretária da casa, pois Stela não era muito boa na cozinha. De repente o pai de Ísis disse a ela: - Minha querida deusa Ísis, ainda não pensou em que faculdade fazer?
       
       A filha amava o pai. Também amava a mãe, mas o pai era a pessoa mais especial no mundo para ela. Para falar com ele, ela tirava toda aquela carapuça de ignorância e sua voz se tornava doce. Ela então o respondeu: - Ainda não sei pai, estou pensando em virar professora de história. Gosto de história. Além disso, poderei ensinar aos meus alunos sobre todos os deuses, principalmente sobre minha chara Ísis.
       
       O pai de Ísis gostou da ideia e respondeu com um sorriso.Mas sua mãe não gostou muito e logo se manifestou: - primeiro você deveria se vestir como gente e parar de usar essas maquiagens pretas nos olhos, isso é vaidade. Assim, as pessoas te respeitariam mais. Quem sabe não conseguiria até mesmo ter mais amigos. Poderia depois que terminasse essa tal faculdade, fazer teologia e virar ministra da palavra, como sua irmã Isabela.
      
       Ísis não era calma como seu pai. Pensou bem antes de responder, pois sabia que com isso, poderia começar uma briga que duraria semanas. Mas tomou coragem e disse: Então eu sou muito vaidosa só porque gosto de me maquiar? Mas e todo o dinheiro que você e Isabela gastam no salão de beleza? Isso não é vaidade? Ah, mais espere um pouco. Vaidade não é um dos sete pecados capitais? Você está pecando mãe.
       
       A mãe de Ísis não soube o que responder e permaneceu em silêncio, dando oportunidade para a filha continuar: - Cada um tem seu estilo mãe. E tem mais, se você acorda de manhã, toma um banho e penteia o cabelo, você praticou um pecado capital. Mas a sociedade é hipócrita. Critica as pessoas e não olha para o próprio umbigo. Que Deus me perdoe, mas, o Papa se veste com suas deslumbrantes roupas e sapatilhas com brilhantes. Como assim vaidade seria então um pecado? Francamente, acho isso uma bobagem. O ser humano deve se vestir como gosta, se achar bonito, pois isso o faz se sentir bem. Pecado mesmo é proibir a beleza humana. Deixe que cada um seja bonito do jeito que quiser. E feliz do jeito que quiser.

       Não se sabe o que houve após isso, mas depois dessa resposta, Stela ficou por um bom tempo sem criticar a filha por sua “vaidade”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário