Menu Fixo

Menu-cat

17 dezembro, 2014

A verdade certa

Entro no escritório do Doutor Rubem, passa os olhos em um mural repleto de fotos de crianças agarrada ao psicólogo, lembro de minha infância sou interrompida pelo doutor que pede para que eu deite no divã.


- Saco ! – reclamei indignada, deitando no divã.

- Tenha calma, Roberta. Relaxe, só vamos ter uma pequena conversa. Não precisa ficar nervosa. Então me conte o que aconteceu na noite da festa de vocês. Você viu a Bruna sendo atropelada?

Continuei quita. Não estava gostando nenhum pouco de ser interrogada. Ouvi uns barulhos estranhos vindo do fundo do escritório.

- Por favor Roberta, quanto mais rápido você puder conversar comigo, mais rápido isso irá acabar. Eu só quero saber quem matou a Bruna?

Levantei,  embraveci com os barulhos.
- Eu sei que vocês estão aí. Podem sair seus policiais de merda. Estão tentando acabar com a minha vida. Eu não sei de nada !

O detetive Leicam junto com seu assistente de olhos azuis saem de uma das portas.
- Merda é sua mãe – o detetive grita, e se aproxima de mim.

- Não toca em mim. Seu estúpido - cuspo em Leicam.

- Piranha – diz Leicam, irritado e tentando me estapear mas é interrompido pela policial Beatriz.

- Chega. Leicam deixa que eu assumo por aqui – diz Beatriz olhando nos olhos de Roberta e abrindo uma pasta contendo várias fotos. Roberta, como você disse, vocês saíram da casa da Laila de carro e foram para a praia. No carro estavam suas amigas, Rafaela, Lorena e Nicole, e a Laila que dirigia o carro não é ? Correto?

- Eu já repeti mil vezes. Não foi a gente que atropelou a Bruna e a gente não sabe quem atropelou ela, tá bom. Estou cansada desse interrogatório idiota. Só tinha a gente no carro, nós não estávamos em bonde. Só queríamos ir na praia .. sei lá agradecer.

- Roberta, você tem noção que é a única das cinco que tem uma família toda com passagem na prisão. Além disso seu ex namorado está preso por matar um policial. Já pensou se a culpa cair em você? É muito simples você perderia sua bolsa de estudos e seria condenada facilmente.

 O detetive Leicam me dava nojo, mas a delegada – tinha vontade de estapear a cara dela – fui liberada de pois de repeti trinta e nove vezes a mesma história. Fui pra casa, não queria saber de nada. Dormi a tarde toda. E nem sinal das meninas. Uma mensagem no no watshap, era Lorena.

 - Fiquei sabendo que a mãe da Laila proibiu ela de falar com a gente.  

Ah, que engraçado a Laila agora é a santa. Se ela não tivesse forçado eu e a Nick irmos no carro do Cris, nada disso tinha acontecido.


- Droga !! – gritei pegando meu celular.

- Alô? Lorena, amanhã eles vão te interrogar de novo. Acho melhor você contar a mesma verdade.

por : Roberta 


Nenhum comentário:

Postar um comentário