Menu Fixo

Menu-cat

16 dezembro, 2014

Síndrome de Sansão




Comentei há poucos dias sobre minha mais nova síndrome,  a de Sansão, é aquele carinha da bíblia que cortou o cabelo e ficou fraco. Eu não fiquei fraco, nem fiquei forte, mas minha mega super ultra power auto estima foi atingida por balas de prata radioativas que me acertaram e deixaram meio cabisbaixo.
Já dizia Cecília ... que Cecília? A Meireles ...  Cecília Meireles, que dizia “Eu não tinha este rosto de hoje, assim calmo, assim triste, assim magro”, lembrei desse poema na hora, este que me fez ganhar o concurso de declamação no meu ensino médio, guardo este prêmio orgulhosamente até hoje – uma medalha- que me trás boas lembranças, também é pra compensar que neste mesmo ano perdi o soletrando, e a palavra era jiló com J, e eu soletrei jiló com G. Depois disso nunca mais comi jiló, quer dizer nem antes disso eu comia jiló.
Tá mas eu comentava sobre o cabelo ... o meu xodó. É muito estranho acordar e se olhar no espelho. É muito estranho se olhar no espelho. Eu olhava pro espelho e pensava “ Tá, já pode quebrar”. Pior foi a super sincera da amiga da minha madrinha comentou – “ Eu não queria comentar mas está horrível. Tá igual o neném doido”, depois dessa minha mega power auto estima murchou. “ Que bom pro neném doido” – eu pensei.

Mas o mais legal de tudo foi acordar – como faço sempre, obvio - e não precisar arrumar o cabelo. É, eu não preciso demorar horas e horas passando, esfregando, penteando o meu cabelo. Fiquei contente, e a Síndrome de Sansão foi embora. Daqui a pouco vem outra, mês que vem outra, e ano que vem outra .. assim como meu coro cabeludo, daqui a pouco cresce. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário