Menu Fixo

Menu-cat

16 janeiro, 2015

Lapidibus: Preciosas e Místicas - 5ª Episódio ( Final/ Parte 1)

 Os signos -  Parte 1

- Om namah shivaya, Om namah shivaya, Om namah shivaya – repete Zanna,  numa espécie de mantra místico, que energiza sua força.

O hippie tatuador amarra Erick em uma cadeira em volta de um círculo de pedras místicas.

- A gente podia matar só as outras duas. E ele ficava com a gente, que tal? – diz o hippie.

Zanna gargalha e ascende as velas do círculo.

- Não me faça rir, Téo. Eu preciso de meditação. E desapegue do seu novo amiguinho porque nós precisamos do sangue dos quatro elementos – explica Zanna.

( Casa de Vitória)

- O Erick está demorando muito. Será que ele esqueceu que hoje é a nossa noite da bagunça? – pergunta Laura.

- Claro que não. Ele falou dessa noite a semana toda. Ele deve está nos rolo dele – diz Vitória, ligando pra Erick. – E o celular dele só dá caixa postal.

A campainha toca.

- É o Erick – diz Vitória descendo as escadas, seguida de Laura.

Laura e Vitória avistam Fabrício.

- Você? Mas você é o ... – diz Laura, intrigada.

- O Erick foi sequestrado pelos ciganos de Évora e ele precisa da ajuda de vocês. E estou hipnotizado – repete Fabrício.

- O que? Isso só pode ser uma brincadeira de mau gosto do Erick – diz Laura.

- Calma aí – diz Vitória, lendo o sonhos de Fabrício. – Ele está realmente hipnotizado. Mas nada que um pouco de água não resolva – Vitória usa a pedra e joga água em Fabrício.

 Fabrício acorda assustado.

- O que vocês estão fazendo? Quem são vocês? – diz Fabrício gritando.

Um carro preto estaciona em frente ao três e abre a porta. Maurício e Samuel saem de dentro do carro e seguiram Fabrício bruscamente.

- Quem é este cidadão? – pergunta Samuel, apertando Fabrício.

- Ele está incomodando vocês? – pergunta Maurício.

- A gente dá um jeito nele – diz Samuel, olhando pra Maurício.

- Soltem ele agora – diz Vitória, irritada.

- O que vocês dois estão fazendo aqui? Por acaso estavam espionando a gente? Vocês tem minhoca na cabeça? – pergunta Laura, também irritada.

- Se a minha avó resolvesse ligar para polícia porque tinha dois rapazes em frente a minha casa? Vocês pensaram nisso? – pergunta Vitória, ainda mais irritada, e nervosa.

- Não importa. Quem é o cidadão? – diz Samuel, mudando de assunto.

- Eu lembrei. O Erick está em perigo de vida. Ele foi levado pelos ciganos e eles pretendem tomar o sangue dele – conta Fabrício.

- Parada muito louca – diz Maurício.

- Vitória, a gente precisa salvar o Erick. Eu ainda não sei como, mas a gente vai salvar eles – diz Laura.  – Meninos, entrem no carro nós vamos atrás do Erick. Vitória, depois você explica sua vó que precisou dar uma saidinha. Maurício, hoje, somente hoje, você pode correr o mais rápido que puder. Depois a Vitória lhe dá um beijo de agradecimento – diz Laura, rindo.

- Ah, muleque. Vamô nóis – diz Maurício, entrando no carro com os demais.

Vitória e Laura explicam toda a história das pedras para Maurício e Samuel. Fabrício conta que  mora na cidade desde que nasceu e sempre ouviu boatos que os evorianos são bruxos ciganos muito perigosos. Maurício, ultrapassa o sinal vermelho e acelera mais rápido ainda.

- Maurício, eu tenho o poder de controlar a água ainda não aprendi a ser imortal. Então por favor ... DEVAGAR – grita Vitória, mau humorada.

- Chegamos – diz Fabrício, saindo do carro.

Todos saem do carro e avistam um camping de tendas de hippies. O lugar há várias tendas e lá no final da trilha uma tenda toda iluminada. Dois homens recepcionam o local, um está com uma garrafas em mãos enquanto o outro faz malabares com fogo.

- Vai lá Samuel. Dá um jeito da gente entrar – pede Laura.

- Olá, fera. É que minha amigas aqui estão meio bêbadas sabe ...  e elas precisam usar o banheiro. Será que vocês não poderiam .. vocês sabem .. – diz Samuel.

- Meu rei nós somos adoradores da natureza. Não temos nenhum tipo de banheiro químico aqui. Aqui, é tudo natural – explica o primeiro guarda.

- Calma aí .. seu mané. Aquele alí e o namoradinho do outro que está preso com a chefe .. reparou não? Vamos pegar eles – diz o malabarista.

- Acho melhor a gente correr – diz Vitória.

Vitória e Samuel correm por um lado enquanto Maurício, Fabrício e Laura correm para o outro lado.

( Perto da tenda)
- Droga, a gente se perdeu – diz Samuel.

- Samuel, deixa eu aproveitar e te perguntar. Porque o Maurício estava lá com você? Sendo que a gente ficou e ele nem sequer falou mais nada. Ainda por cima vivia postando foto com uma piriguetizinha no instagran – diz Vitória.

- Vitória, ele tá caidinho por você. Só você que não enxerga. Aquela garota com ele ... é uma amiga nossa, e ela é lésbica só para lhe informar – conta Samuel.

- Eu não acredito. Samuel de-le-ta essa conversa. Vamos achar o Erick.

( No outro lado da tenda)                     
- Maurício ... quem teve a ideia de fazer serão em frente a casa da Vit? – pergunta Laura, curiosa.
- Ah, foi Samika. Você sabe que ele é pilhadão na sua. Parece que ele descobriu pelo Erick, depois me ligou e a gente iria ficar lá olhando vocês – conta Maurício.

- Vocês são muito loucos – diz Laura. – É melhor termos cuidado, esses caras não estão para brincadeira.

Fabrício avista Samuel e Vitória que estão presos pelos hippies.

- Seus amigos foram pegos  - diz Fabrício.

- Soltem eles – diz Vitória, fazendo um círculo de fogo em volta dos hippies.

Samuel escapa e joga um dos hippies no chão. Vitória tenta se soltar, mas outro rapaz a segura. Maurício corre e soca o rapaz de cabelo loiro no chão, tirando sangue do mesmo. Vitória faz começar a chover e abraça Laura.

- Vamos achar o Erick  - diz Vitória.

- Onde as florzinhas acham que vão?  - diz Zanna, surgindo ao lado de oito hippies.

Nenhum comentário:

Postar um comentário