Menu Fixo

Menu-cat

12 janeiro, 2015

O quintal de minha casa



         Essa semana precisei ir à Biblioteca Municipal em busca de um livro para me tele transportar para dentro da vida de Braga. A biblioteca popularmente e turisticamente chamada de “ Casa dos Braga”.  Nessa visita repentina, fui informado pelo funcionário que a biblioteca iria mudar para o centro da cidade. Como assim? Porque dessa mudança? Era lamentável, pois desde criança ir a “Casa dos Braga” era como ir ao quintal de minha casa.


         Foi lá que ampliei minha visão de mundo e leitura. Foi lá que eu fiz a maioria dos meus trabalhos do ensino fundamental. Naquela época acho que nem existia internet, se existia nem lembro. Lembro-me das vezes que eu e minhas amigas tínhamos crises de risos, quando víamos figuras dos nossos aparelhos reprodutores nos livros de ciências. Era uma festa no meio daqueles livros. Mas logo nossas alegria era interrompida por uma das bibliotecárias, que olhava com censura nossas adolescência aflorada. Lá nós viajávamos. Era uma espécie de teletransportador. Saíamos de nosso “mundinho” mequetrefe em direção outros mundos. Voltávamos no tempo, em qualquer época, guerra, dia, morte, vida. Éramos livres.



         A Casa dos Braga era minha segunda casa e trás lembranças de minha infância, assim como dava a Braga uma sensação nostálgica, Braga por meio de sua casa e o pé de fruta-pão voltava à infância. Eu também. A Casa dos Braga é para mim um refúgio de nostalgia. Minha eterna casa. Meu eterno quintal literário.     

Um comentário:

  1. Sabe que só fui em biblioteca na época da escola fazer trabalhos, nunca fui pegar um livro pra simplesmente ter o prazer de ler.
    Aqui no meu bairro nem sei se tem, mas vou pesquisar.
    Pra falar bem a verdade não sei onde tem uma biblioteca hahahaha!!!!
    Feliz é você que tem uma no seu "quintal" :)

    ResponderExcluir