Menu Fixo

Menu-cat

14 setembro, 2015

Iluminados - 9ª Episódio ( Penúltimo)

Sinopse Original: Marcus Costa
Direção de roteiro: Ronald Onhas
Autores: Marcus Costa e Ronald Onhas



A senhora de cabelos brancos perfura a barriga de Valentina com as mãos. Valentina cai morta no chão. Raul entra e vê Valentina ensanguentada.  

- Nãoooooooooooooo!! – grita Raul, se ajoelhando próximo ao corpo de Valentina ensanguentado. – Era para eu cuidar de você. Eu sinto muito, eu vou me vingar por você irmã. Raul chora compulsivamente.

Kaleb levanta do chão metralhando os demônios. A senhora possuída dá uma risada e tira a bala do pescoço.

- Eu vou acabar com você, seu merda – diz Raul, enfurecido.

- Estou morrendo de medo. Que brincar de voltar no tempo? Vamos voltar a 16 anos atrás, exatamente no ano que matei seu pai. Matei o Anjo de guarda Daniel, seu pai nunca fora um Arcanjo de verdade, não foi designado para lutar. Foi no que deu, só porque tentei lhe matar, Daniel ficou furioso e partiu para cima, porém saiu em desvantagem matei em primeiro instante – diz  a senhora, levando tiros de Raul.

Loyane e Kaleb entram no salão lutando com os demônios. Kaleb quebra o pescoço de um possuído, enquanto isso Mabel coloca fogo no gás de uma garrafa de spray que incendeia os corpos dos possuídos. Kaleb avista Valentina morta no chão, enche seus olhos de água e segue em direção ao senhora possuída com um canivete em mãos, a senhora desvia o golpe e rapidamente estrangula-o, fazendo Kaleb cair no chão fraco e desacordado. Loyane e os outros anjos gritam assustados.

- Porraaaaaaa – diz Raul, possuído por uma luz branca e ganhando asas extremamente grandes.

Raul segue em direção a senhora possuída, porém o demônio desxorciza da velha, e possuí o  corpo de Kaleb.

- Venha, mate-me agora – ordena o demônio, fazendo sinal no rosto.

- Vai para o quinto dos infernos – diz Raul, murrando sequentemente o rosto do Kaleb (possuído). O demônio pega os braços de Raul e carrega-o contra a parede, socando a cabeça do mesmo bruscamente nas colunas de pedra.  Raul abre suas asas tampando o possuído metros de distância, em instantes o nefilin de força faz voo até o demônio, socando sua barriga.

***
Sofia observa Mabel abraçar fortemente Lúcia, enquanto Christopher se depara com a cena, e discretamente aproxima da irmã para também abraça-la.



 - Mãe, que bom poder te abraçar. Eu senti tanto medo, pensei que nunca mais fosse te ver – diz Lúcia, aos prantos.
- Minha filha mil desculpas pela demora, chegamos o mais rápido que pudemos – conta Mabel.
- Dona Mabel, por acaso você viu a minha mãe por aí? – pergunta Sofia, encarando a face de Mabel mudar.
- Eu sinto muito. Flora lutou bravamente, mas não resistiu – diz Mabel, abraçando Sofia, que cai aos prantos.
- Mãe, cadê o papai? – diz Lúcia, encarando fixamente os olhos de Mabel.

Leviatan, mais quatro demônios, cercam Lucia e o grupo. Loyane observa de longe e vai buscar ajuda no galpão.

- Encrenca, meninas – chama atenção, Christopher.

- Estou a fim de brincar com vocês. Aliás, vocês ficaram dias presos naquela sela e a gente nem se conheceu direito. Quero provar uma asinha de nefilin frita – diz Leviatan.

- Christopher, foge com as meninas – ordena Mabel, dando-lhe um revólver.

Lucia se aproxima da mãe, protegendo-a.

- Eu estou cansada de fugir. Não vou te largar aqui, vamos lutar – diz Lúcia, destemida.

- Chefe, eu posso morder o garoto e depois arrancar a língua dele? – pergunta a possuída.
- Pode, é claro que pode – diz Christopher, atirando em Leviatan.

Leviatan corre na direção de Christopher, que também corre do demônio. O demônio pula nas costas de Christopher, que grita pedindo ajuda. Lucia tenta ajudar o nefilin, porém Leviatan agarra seu pescoço com uma de suas mãos. Lucia se debate enquanto fica sem ar. Christopher, preso por uma das mãos de Leviatan, presencia assustado o desespero de Lúcia. Mabel desvia da primeira possuída de cabelos lilás metendo-lhe um tiro, e corre para ajudar Lúcia, mas leva um tiro de um dos possuídos.

- Socorro! Deus ajude minha filha – grita Mabel, desesperada,  vendo a filha ficar sem fôlego.

Uma clava é arremessada no rosto de Leviatan, que solta Lucia e consequentemente Christopher. Rafael paira junto com outro anjo por cima deles. O anjo Rafael mete a clava em um dos possuídos. Leviatan corre para dentro do galpão. Rafael tenta segui-lo, mas é interrompido pelo Arcanjo Daniel.

- Cuide de sua família e desses meninos. Eles precisam de você – diz o Arcanjo Daniel. – Eu cuido daquela praga. Vou fazer picadinho de caperoto – diz Daniel, levantando voo e seguindo voando por dentro do galpão.
            - Ela não está respirando – alerta Sofia, preocupada.
            - Rafael, salve nossa vida meu amor – suplica Mabel, dando-lhe um selinho.

 Rafael coloca as mãos sobre Lúcia, enquanto Christopher, Sofia, e Mabel admiram apreensivos.
  ***
O demônio joga Raul contra parede. Leviatan entra no galpão, descontroladamente.

- Temos companhia – alerta Leviatan.
- Agora que a brincadeira estava ficando boa – diz Kaleb, possuído pelo demônio.
Raul pega a metralhadora no chão. Kaleb acena despedindo-se de Raul.
- Vai ter troco – diz o demônio saindo do corpo de Kaleb, e caindo ao chão.
Raul fica mais bravo.
- Raul, vamos embora querido. Nós vencemos meu amor – diz Loyane, segurando as mãos de Raul.
- Não, eu preciso vingar a minha irmã. Ela não merecia esse fim – diz Raul chorando. – Eu te amo, vá encontrar os outros – diz Raul, beijando os lábios carnudos e sedutores de Loyane.

Loyane corre em direção a saída do galpão, porém é pega por Leviatan, que coloca uma faca em seu pescoço.

- Porra, solte-a. Senão, eu juro que lhe mato – grita Raul.

- Eu preciso de um passe livre, afinal ele está aqui – diz Leviatan.

-Ele quem? Solte ela – ordena Raul, levantando voo.

- Tá com medo por que ela é humana não é ? Um cortezinho na garganta, já era. A humana estará mortinha. Vai ficar sem namorada – diz Leviatan, rindo.


Uma clava atinge o rosto de Leviatan, que rodopia no ar com o impacto da arma. Loyane cai assustada, enquanto Raul fica sem reação ao avistar seu pai pairando em sua frente, com asas extremamente grandes e iluminadas.

- Pai? – diz Raul, ainda surpreso com a aparição do Arcanjo Daniel.

             

Nenhum comentário:

Postar um comentário