Menu Fixo

Menu-cat

03 novembro, 2015

Poema da Voz - por Marcus Costa


Poema da Voz
por Marcus Costa

Voz que não tem força pra falar.
Voz que oprimida fica na garganta daquele que labuta.
Voz que sem ecoar não serve de nada.

Voz, grite!
Solte-se!
Imploro-te, por favor, solte-se!
Desagarre-se desse nó prendido,
entalado nessas gargantas secas.

Voz liberte-se,
Salve-se
Nos salve.


Voz é preciso que você seja voz
e que guie o nosso penar,
que nos leve a luz, que já fraca,
quase apagada ainda está acessa nos corações trabalhadores.

Voz é preciso que você seja voz,
Vocifere, feroz.
Voz, vossa força é mais que precisada.
É necessitada.

Vós, seja nossa voz.






- Texto participante do " Primeiro Festival Nacional de Poesia Falada Newton Braga", realizado no dia 31 de Outubro, no teatro Rubem Braga, em Cachoeiro de Itapemirim, com apoio da Lei Rubem Braga. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário