Menu Fixo

Menu-cat

23 novembro, 2015

Resenhas do Abou - Operações Especiais

Por Vitor Abou 


  Não restam dúvidas: os filmes policiais conquistam cada vez mais espaço no cinema nacional. Antes da estreia, muitos imaginavam uma certa cópia do sucesso “Tropa de Elite”. Já em seu primeiro trailer, o filme surpreendia por apresentar Cléo Pires em um papel totalmente diferente dos outros já feitos por ela, na pele de uma policial insegura, em uma operação de controle do crime em uma pequena cidade do interior.



A história do filme em questão se passa na cidade fictícia de São Judas do Livramento, para onde foram enviados vários policiais considerados honestos para a resolução da alta criminalidade na região, que ganhou mais visibilidade com a morte de crianças. A esse ponto, Francis (Cléo Pires) já é uma novata da polícia, que antes trabalhava na recepção de um hotel, e é levada para tal expedição. Nessa expedição, Francis sofre bastante com as brincadeiras machistas dos outros policiais, por ser a única mulher do grupo, e presencia cenas de apostas sobre o futuro dela, que para muitos seria sua saída em pouquíssimos dias, porém ela resiste, mesmo sofrendo, e encara dia após dia, superado seus limites para demonstrar que é capaz.


De uma forma não tão direta, o filme também mostra que existem vários policiais no Brasil que são enviados para missões importantes sem muito preparo, como é o caso da protagonista, que queria ocupar somente cargos administrativos na Polícia Civil. A chegada dessa polícia honesta é uma parte que me agradou bastante. Uma cena que mostra mais uma vez sobre o machismo nessa profissão é quando Francis vai à delegacia de São Judas do Livramento, fala com o policial presente, mas esse a ignora, já que fala no telefone, porém a novata insiste, e o policial ignora-a novamente, até que o policial interpretado por Thiago Martins aproxima-se e mostra seu distintivo, fazendo com que o policial local desligue o telefone.


A recepção da população aos novos policiais, inicialmente, é de forma comemorativa, com aclamações. Com o tempo, os policiais vão desvendando outros problemas dessa cidade, não somente a questão da criminalidade, mas também a corrupção e as falcatruas. E como era de se esperar, essa forma estreita de cobrar as leis acaba incomodando a população e pessoas de grande importância na cidade, como políticos.
Dessa forma, há uma total inversão de papéis, já que a polícia passa a ser inimiga da população. Um dos temas principais abordados no filme é justamente se a sociedade brasileira está pronta para uma polícia honesta, justa e correta.

A direção do filme é excelente, sobressaindo-se em relação ao roteiro, que também é muito bom, porém com alguns deslizes. As cenas de ação merecem destaque por serem muito semelhantes aos conflitos reais entre polícia e o crime. Algumas delas ainda são gravadas em primeira pessoa, deixando o espectador mais próximo da situação. Uma cena também de destaque nesse ponto é quando os policiais trocam tiros com os bandidos na favela, os bandidos são vistos pulando os telhados das casas e se aproximando cada vez mais dos policiais.  Assim dando uma impressão de proximidade com a tela e o público que assiste ao filme.
As atuações também merecem os devidos elogios, como Marcos Caruso, na pele do delegado Paulo Froes, que lidera o grupo de policiais e é extremamente rígido e até sarcástico em certos momentos, e Cléo Pires, que faz um papel não muito fácil, mas de forma esplêndida, demonstrando nitidamente a insegurança, a tensão e o medo que tomam sua personagem nas expedições. Um ponto que poderia ser melhor explorado é o romance entre Francis e Décio (Fabrício Boliveira), já que tal aspecto não é abordado profundamente, foi feita uma abordagem um pouco superficial e rápida, que poderia ter sido melhor explorada, principalmente após a morte dele, já que Francis não se mostra muito abatida.


Ainda falando sobre Décio, acho que o filme poderia demonstrar os outros policiais limpando o nome desse amigo, já que foi anunciado de forma errônea e intencional seu envolvimento com o tráfico de drogas.

De forma geral, Operações Especiais narra muito bem a atuação da polícia no Brasil e questiona sobre alguns temas ainda presentes na nossa sociedade, principalmente a temática da corrupção. Assisti ao filme no cinema recentemente e recomendo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário