Menu Fixo

Menu-cat

28 abril, 2016

Vem logo, 6ª Bienal Rubem Braga

Todo mundo já sabe que a 6º edição da Bienal Rubem Braga será realizada entre os dias 31 de maio e 5 de junho, na Praça de Fátima, em Cachoeiro. Mas, a pergunta que não quer calar: QUAIS SERÃO AS ATRAÇÕES DO EVENTO? 



Na última edição, em 2014, tivemos as apresentações artísticas Zeca Baleiro, Oswaldo Montenegro e Barbatuques. Mas, enquanto nenhuma divulgação oficial é veiculada, nós  ( loucos por Bienais) vamos criando nossas conspirações malucas. Como não sou obrigado a esperar resolvi criar uma lista (falsa) de “grandes” nomes que poderiam participar este ano.


Se pudesse escolher um autor, com certeza escolheria Walcyr Carrasco. Não é somente pelo fato do autor ser global e ter em seu currículo inúmeros sucessos televisivos, mas sim pelo seu currículo de publicações para o público infato-juvenil. Entre eles estão os sucessos:  Balança Coração (1999”);  “ Vida de Droga (2000)”; “Estrelas Tortas (2005)” entre outros. Qualquer forma que o dramaturgo participasse seria enriquecedor, seja numa mesa-redonda ou em palestra para os participantes. #vemwalcyr


Outra que faz bastante sucesso com a garotada “teen” e conseguiu a popularidade de Thalita Rebouças, é a escritora Paula Pimenta, autora de “Princesa Adormecida ( 2014)”; “ Cinderela Pop (2015)”; e as séries de livros “Fazendo meu filme”. Paula foi uma das autoras nacionais que mais venderam em 2014, juntamente a Augusto Cury. Com certeza, as adolescentes iriam “pirar” com a presença da escritora.


Como sou desses que valoriza nossa gente... e gente que eu sei que é BOA MESMO. Colocaria Bernadette Lyra na lista, afinal nossa estrela capixaba é uma profissional excelente em tudo que faz, seja na literatura ou em qualquer setor cultural. Confesso que SE fosse para comentar sobre “A Capitoa (2014)” ficaria mais à vontade, pois eu e meus amigos tivemos o prazer de ler Lyra.

 

Outra também, que entraria na minha lista seria a querida e parceira, Elysanna Louzada, moradora de Vargem Alta e que já publicou sucessos da trilogia de ficção “Herdeiros do Trono”. Porém, Ely é versátil e audaciosa, tanto que já publicou o sucesso infantil “Eu sou o galo” e o fofíssimo romance “Uma lição de Amor (2015)”.



Não podia deixar de completar minha lista dos sonhos (rs) com música não é?! Afinal, todo final de festa precisa daquele super show. E, nós, cachoeirenses, merecemos! Pensei em duas atrações que agradaria a todos, apesar de sabermos que é muito difícil agradar todo mundo. Mas, acho que eles são ecléticos e representam bem a música nacional brasileira. O ex-baixista da banda de rock Titãs, Nando Reis e a queridinha do “"Shimbalaiê", que já foi indicada duas vezes ao Grammy Latino - Maria Gadú.




Prontinho .... LISTA COMPLETA!

Se dependesse da EQUIPE ELEA a Bienal iniciaria amanhã, rs. Mas, vamos esperar os sites oficiais veicularem as notícias acerca da Bienal. E esperamos que logo porque estamos ansiosos para sabermos as atrações.


Até mais, abraceijos! 

18 abril, 2016

Dia Nacional do Livro Infantil + dicas.





Boa noite, ELEA! Hoje é comemorado o dia do livro infantil, sabia disso? A data foi escolhida para homenagear o escritor que mais se dedicou e subverteu a escrita nesta área: Monteiro Lobato. A escolha da data foi estabelecida em 2002, de acordo com a Lei 10.402/02.
Monteiro Lobato pertenceu ao movimento literário modernista, produziu 26 títulos destinados ao publico infanto-juvenil. O autor sempre esteve à frente de seu tempo, o que caracterizava sua extraordinária e admirável produção literária.
É fato que nossos baixinhos de hoje andam “correndo” um pouco da literatura, mas precisamos apresentar verdadeiras obras literárias que desenvolvem o hábito pela leitura, algo que é tão importante na formação do indivíduo. A leitura atua na mente infantil favorecendo a criação do imaginário, cria e recria a fantasia, amplia e enriquece as experiências e o vocabulário, melhora o processo de ensino aprendizagem e desperta o gosto e o interesse pela leitura.
E você que quer algumas dicas de quais obras oferecem a sua criança, selecionamos alguns títulos- que eu considero a leitura fundamental para todos, não só as crianças.



                       Memórias de Emília- Monteiro Lobato.

Sem dúvidas o título de Monteiro Lobato que eu mais gosto. A boneca pode ser considerada o alter ego do autor, falava demais e tudo que lhe vinha à mente. Trouxe opiniões e novas visões de mundo através das falas e atos da boneca mais famosa da literatura e da televisão. 

                       A bolsa amarela- Lygia Bojunga.

Raquel narra em “A Bolsa Amarela” seu conflito com suas três vontades- a vontade de ser gente grande, a de ter nascido menino e a de se tornar escritora. E repressão eu sua família faz quando ela expõe suas vontades, contestando a estrutura familiar tradicional onde “criança não tem vontade”.
 
                         Marcelo, Marmelo, Martelo- Ruth Rocha.

Marcelo um menino que procura entender os significados das coisas e por que elas são como são. Vive na idade dos porquês, gosta de criar vocabulários e descobrir sua própria identidade. 

                 Bisa Bia, Bisa Bel- Ana Maria Machado.
 
Isabel depois de achar uma foto de sua Bisa em uma arrumação, resolve levar a foto para a escola. Isabel, no entanto, perde a foto e começa imaginar que, mesmo não possuindo mais a foto, Bisa Bia sempre estará com ela, então ela inicia uma conversa com sua Bisa sobre a época atual e antigamente. 


           Exercício de ser Criança- Manoel de Barros.

Trata-se de dois textos escritos em prosa poética com os títulos: "O menino que carregava água na peneira" e "A menina avoada". Neste livro Manoel de Barros traz o mundo visto e reconstruído a partir do olhar da criança descritos através de uma linguagem poética, a brincadeira e a simplicidade com o uso da palavra. 
 Espero que gostem dos livros indicados e ofereçam o melhor da literatura para os pequenos. Ah, lembrando que as obras citadas acima podem ser lidas por pessoas de todas as idades, posso garantir que elas são as melhores e eu amo lê-las.

Até a próxima!

04 abril, 2016

Participação em novo projeto: Caixa Carpe Diem.





Há algum tempo, eu acompanho o trabalho da página do facebook “Moça, você é mais poesia que mulher”, uma iniciativa maravilhosa que traz mais poesia para nossa rotina. Nesta página, são postados poemas, gifs e imagens relacionadas à poesia.
Um dia desses, navegando pelo meu feed, encontrei o projeto “Caixa Carpe diem”, nesta mesma página em questão, um projeto poético, cultural e filosófico que visa adoçar nossa vida com poesias diárias e ações. É claro que eu, apaixonada por leitura e literatura, quis logo fazer parte da proposta. 

Contatei o administrador e já produzi minha caixa para começar o projeto! Ao longo dos dias, assim que eu começar, contarei aqui no blog como está sendo minha experiência, meu plano é fazer uma postagem a cada uma ou duas semanas. E ao final, também relatarei minhas impressões e os resultados que eu consegui alcançar.
O que me interessou também foi o nome do projeto- Caixa Carpe Diem, pois a expressão “Carpe Diem” é proveniente do latim (que não é uma língua morta, mas sim em desuso) que, literalmente, significa “aproveite o dia”. Entretanto, tem o sentido mais amplo de aproveitar ao máximo o agora, apreciar o presente. Ou seja, aproveite o tempo presente, valorize o seu viver e para isso, nada melhor do que unir a poesia a algumas ações. 

 Um dos objetivos do projeto é unir a reflexão dos textos poéticos a ações que viram junto dos mesmos. O que achei excelente, pois poesia/literatura é verossímil, muito próximo da nossa realidade, o que acaba tornando-se universal. E ao unir a prática de ações que visam tornar a convivência e a estadia neste mundo melhor, nada mais é do que pôr em prática o pensar que a literatura nos propõe.
Para quem quer mais informações para saber como participar da “Caixa Carpe Diem”, clique aqui, ou envie um e-mail para caixacarpediem@outlook.com. E não deixe de acompanhar a minha experiência com o projeto por aqui, nas postagens do blog, e em nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter. Está participando do projeto também? Conte para mim e vamos compartilhar nossas experiências juntos!
Até mais,
Nathália Dias.

03 abril, 2016

O mistério do choro


Dizem que chorar, limpa a alma. Mas, ninguém explica como é feito a lágrima. Não, não quero saber de explicações científicas. Não quero saber se a lágrima é  produzido pelas glândulas lacrimais. Preciso saber: o que faz o ser humano chorar? Que força é essa que o faz o homem “vazar” pelos olhos. O ser humano tem tantas vazões, e o choro acaba sendo a catarse da alma. Vaza e acalma. Por mais que existam muitas lágrimas de crocodilo nesse mundo. O choro ainda é uma forma sincera e honesta de demonstrar emoção, gratidão, paixão – ou qualquer palavra terminada com “ão”.



Tudo bem que sou o tipo de pessoa péssima para falar de equilíbrio emocional. É, sou sim. Sou a hipérbole em pessoa. Choro sem motivos, choro a toa. Há pessoas que choram pelo final triste do filme, a morte do seu personagem preferido, a eliminação de seu participante predileto do reality das terças à noite, e pelo casal da novela das nove que rompeu a relação. Alguns ainda pegam o baldinho de pipoca, acompanhados com a latinha de refri e apertam play no chororó.


Na verdade, tenho quase certeza absoluta, que chorar é apenas uma forma de dizer “sou humano”. Pode apostar, que as córneas estão diretamente ligadas ao coração e também à mente. Digo mais: ligadas com tubos de amor. Enquanto um bombeia a emoção - de um abraço, de um sorriso, de um afago bem apertado. O outro faz questão de ser nostálgico, trazendo lembranças dos bons momentos, da infância, dos momentos de que pedem bis.
Acho que as lágrimas são feitas de açúcar, produzidas pelos melhores sonhos e desejos da gente. Misturado com afeto, sinceridade e amizade, adicionado com um pouco de turbulência emocional – às vezes, um acidente, um susto, ou infelizmente, uma perda. Lembram de Alice?! Aquela mesmo do País das Maravilhas. Chorou tanto que suas lágrimas se transformaram num rio. Existem tantas “alices” por aí. Mães em portas cadeias, famílias que perdem tragicamente famílias, filhos que não tem mãe, mãe que não tem filhos, famílias destruídas, e os rios vão aumentado – nunca secam.


Talvez – no fundo, do fundo, o choro seja um presente das ninfas e dos duendes. Quem sabe, da fada dos dentes. O mistério é que a lágrima é uma palavra recolhida, uma palavra não-dita, ou até mesmo uma palavra acovardada pelo seu proprietário. Sim, a lágrima lava a alma: de lembranças guardadas e, também compartilhadas. Ah, meu querido Mário Quintana já dizia “Chorar é lindo, pois cada lágrima na face são palavras ditas de um sentimento calado.



Aos manteigas derretidos eu digo: chore. Afinal, a vida não é um folclore. Morra de chorar, mas nunca se afogue nas suas próprias lágrimas.  Afinal, a vida continua, e os rios, naturalmente, transbordarão.

* quem sabe um desabafo!

Ronald Onhas