Menu Fixo

Menu-cat

09 maio, 2016

Resenhas do Abou: O cavalo amarelo, de Agatha Christie

A resenha de hoje é sobre um livro que eu li há um tempo, porém me marcou bastante, já que foi o primeiro livro de Agatha Christie que eu comprei. Agatha Christie foi uma escritora britânica muito renomada, conhecida como a Dama do Crime. Agatha criou personagens icônicos para o gênero, como os detetives Hercule Poirot, Miss Marple e Parker Pyne. Segundo a biografia contida na edição da LPM, de ''O cavalo amarelo'', Christie é a autora mais publicada da história, perdendo apenas para Shakespeare e para a Bíblia.



            No livro de hoje, ''O cavalo amarelo'', Agatha não utiliza nenhum desses detetives citados, mas sim Mark Easterbrook, um escritor que se interessa nas investigações. Quase todos os capítulos do livro são narrados por Mark. O escritor começa seus relatos contando sobre uma mulher doente que chamou um sacerdote para se confessar antes de morrer, porém ela acabou entregando a ele uma lista com vários nomes, entretanto o padre acaba assassinado logo após sua saída da casa da senhora.



Mas essa lista de nomes não é uma lista qualquer, já que vários nomes escritos ali eram de pessoas que haviam morrido há pouco tempo. Envolvidos nesse crime primeiramente apenas como observadores, Mark e sua amiga Ariadne Oliver, também escritora, vão a um vilarejo na zona rural inglesa para uma festa e conhecem o ''Cavalo Amarelo'', uma casa onde moram as ''bruxas'' do local, e todas as tradições de feitiçaria. Uma das únicas testemunhas é Zachariah Osborne, farmacêutico que alega ter visto Sr. Venables, um homem rico e paralítico, seguindo o sacerdote na noite do grande crime. A partir de tantas informações e costumes desconhecidos, o inspetor Lejeune investiga esse caso totalmente estranho, com a ajuda de Easterbrook.



Quando Agatha escreveu esse livro, ela já tinha publicado mais de 60 outros livros, e totalmente diferentes desse, que é inovador no meio dos outros, ao falar de algo sobrenatural e da feitiçaria, dando seus toques especiais de assassinatos e as investigações que os próprios leitores fazem, numa espécie de jogo, para tentar acertar o assassino. Agatha Christie consegue aproximar o enredo do livro e os seus leitores, porque a construção dos personagens é excelente. Os diálogos também são incríveis e diretos quando necessários, não há cenas fúteis. A linguagem utilizada pela autora é realmente maravilhosa e simples, já que não abusa de formalidade, nem dá informalidade.
As descrições também são um destaque a parte, já que são fundamentais para o entendimento de uma trama policial, e Agatha faz isso de maneira incomparável, dando pistas e dicas a todo momento.
Sinceramente, fazer uma resenha de um livro policial sem dar dicas não é muito fácil, principalmente para criticar o final. O final de “O Cavalo Amarelo” não é muito surpreendente, já que algumas pistas dadas acabam sendo dispensadas para a resolução do crime, mas assim mesmo o desfecho é muito bom e consegue encaixar o quebra cabeças montado.



A capa da edição que li, da LPM Pocket, mostra uma placa com o desenho de um cavalo e provavelmente, é a placa da casa Cavalo Amarelo, que serviu como uma hospedaria no passado, e esconde vários mistérios. Há pouco tempo, encontrei um vídeo na Internet, feito pela editora LPM, como uma forma de promover o livro.
Vale à pena conferir em: AQUI
Outro ponto também que destaco é como Agatha expõe a sua própria opinião, provavelmente, em alguns trechos, que ficaram extremamente fortes e marcantes, como o seguinte trecho, da página 247, na edição de bolso da editora LPM: ''O mal não é uma coisa sobre-humana,e sim uma coisa abaixo de qualquer humanidade. O criminoso quer ser importante, mas nunca o será, porque jamais deixará de ser menos do que um homem.''
Eu já li alguns livros da Agatha e acho esse um dos melhore, por suas características fortes e inovadores dentro dos outros da autora, que me encantaram. Recomendo esse livro, mas, para quem não gostar, não pense que todos os livros da autora são iguais, já que, como disse, esse é totalmente diferente dos demais.




2 comentários:

  1. Eu amo Agatha Christie de todo meu coração *--* Já li vááários livros dela, mas ainda não conhecia esse. Gostei da sua resenha, entendo as dificuldades de falar sobre livros policiais e você foi ótimo!
    Beijos <3
    http://persuasaoliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Seja bem vinda ao nosso blog, volte sempre!

      Excluir