Menu Fixo

Menu-cat

13 setembro, 2016

5º Festival de Cinema e TV em Muqui!


Nos dias 09 e 10 de setembro, último final de semana, rolou o Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo, o FECIN, realizado na cidade de Muqui, interior do Espirito Santo. E no sábado eu tive a oportunidade de acompanhar bem de perto a programação para detalhar aqui para vocês!
Muqui é considerado o maior sítio histórico do ES, conta com uma veia cultural bem forte, que envolve atrações como a Folia de Reis, o carnaval do Boi Pintadinho, o Festival de Cervejas artesanais e, claro, o Festival de Cinema que já se encontra em sua 5ª edição.

No segundo dia do festival ocorreu o passeio “Ciclo de Memórias”, o símbolo do festival, as bicicletas, que contam a história da cidade através das memórias. O passeio reuniu a população na rua, cada um com sua bike, vestidos à moda antiga e espalhando poesia, um verdadeiro charme!

Transitei pela estrutura do local que também contou com a exposição de carros antigos, praça de alimentação com direito a venda de cerveja artesanal, food truck e stands com vendas de artesanato e produtos do evento. A programação também envolveu as Meninas Bordadeiras de Burarama, que fizeram a exposição de seus mapas afetivos expostos no “Memorial do Bordado”. O escritor e cronista muquiense Jace Teodoro lançou seu livro “A palavra que Apalavra”, uma reunião de seus trabalhos já publicados no jornal A Gazeta e outros inéditos.
A atração mais esperada por mim era a exibição dos curtas, que muito me encantou. Sem dúvida alguma, o documentário “Meninos e Reis”, de Gabriela Romeu, foi o que mais me encantou. O enredo trata da tradição do reisado, uma festa católica envolvida em uma grande teia cultural. O documentário nos permite ver se sensibilizar em como os meninos de Juazeiro do Norte, CE, estão envolvidos e engajados na cultura, simplesmente enternecedor. Não é a toa que o curta foi o ganhador do Troféu Palma.
Um dos outros curtas que também foram exibidos foi “Balú”, de Paula Gomes que retratou a vida de um menino e seu cachorro, Balu, vira-lata, os dois personagens cruzam suas identidades o tempo todo durante o filme. Outra apresentação foi da animação “Cartas”, de David Mussel, a trama se desenvolve concomitantemente à sua trilha sonora, que é nada mais nada menos que Vivaldi. O enredo conta com uma história psicológica que se mistura a música, esplêndido!


O encerramento do festival ficou por conta da música e entrega das premiações. Claro que eu também não poderia deixar de andar pela cidade. 
E pelas minhas andanças, encontrei o Palacete Rambalducci, a maior, imponente e mais antiga construção da cidade, uma estrutura fascinante. Andar pela cidade de Muqui é poder observar as construções pertencentes ao século XX, à cidade mantêm um ar muito bucólico.

O município dispõe de uma praça muito charmosa no estilo francês e ainda o trilho do trem que corta a cidade, além dos casarões e toda a historicidade que cerca a cidade. 


A cidade de Muqui guarda muitos encantos, se tiver oportunidade, não deixe de conferir mais essa beleza do ES.

4 comentários:

  1. Só de ler a matéria é vê as fotos já deu vontade de ir!!! Parabéns pela matéria, Nat!

    ResponderExcluir
  2. Amei a matéria, sem dúvidas é o registro fiel do que vivemos naquele dia de puro conhecimento!

    ResponderExcluir
  3. Amei a matéria, sem dúvida é o registro fiel do que vivemos naquele dia de puro conhecimento!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a matéria, muito bem escrita! Acredito que esse festival acrescente muito a cultura de Muqui!

    ResponderExcluir