Menu Fixo

Menu-cat

18 novembro, 2016

Em todos os cantos que olho, eu vejo você!

                 Eu vou te esquecer! Em todos os cantos que olho, eu vejo você. Em todos cheiros que percebo, sinto você. Em todos os olhares que me são lançados, eu procuro você. Em todas as minhas notificações das redes sociais, eu rezo para ser você. Cada mensagem, curtida ou comentário eu ainda penso que talvez pudesse ser você. Para mim os outros são insossos, perderam a graça depois que lhe conheci. Os outros são somente os outros, e você era, somente ... Com seu jeito singelo, tímido e bondoso, você mesmo.

            Eu sei que vou conseguir te esquecer, afinal não é só porque você foi o meu primeiro grande amor (de verdade) que eu não posso lhe esquecer. Não é porque nós tínhamos apenas um mês de relacionamento que eu preciso lhe esquecer. Tudo bem que não era relacionamento sério, mas era relacionamento, afinal a gente conversava, desabafava, troca figurinhas, desejos, sonhos, frustrações, casos, acasos, nudes, declarações, likes, poesias, sensações. Era relacionamento, sim! Que durou 3 semanas, 23 horas, e 1 coração partido.



            Talvez eu te esqueça. Afinal não foi fácil apagar seu número de minha agenda. É, eu apaguei. Se eu disser que apaguei de primeira, vou mentir. Pedi minha amiga para deletar seu número de minha agenda. Me senti covarde. Completamente covarde! Ela não apagou, eu não deixei. Voei nela - como um animal defendendo seus filhotes, salvei seu contato, te salvei, te clamei, te chamei, mas você não fez questão de visualizar.

            Será que eu vou te esquecer? Eu me pergunto todos os dias antes de dormir. Afinal, a cada momento que não estou em mim, você surge do nada em minha mente, me persegue, como uma sombra que enfeitiça e me domina. Confesso: pego-me às vezes pensando em nós dois. Não sou forte. Não é fácil ser forte. Nas novelas parece tão mais fácil. Tô aqui esperando o próximo capítulo, mas essa cena não quer sair do “pause”. Por favor alguém me ajude achar o controle da vida, pois o meu eu já perdi.

            Até tentei me distrair com outras pessoas – apesar de meu coração magoado ser totalmente contra. E você tava lá. A outra pessoa tinha a mesma idade que a sua, os mesmos medos, as mesmas frustrações, o mesmo gosto por músicas bregas, os mesmos apetites sexuais, mas não era você. É, eu acho que não vou te esquecer. Eu queria te odiar, ter raiva de você, até encomendar sua morte, mas se você morresse, eu não teria mais vontade de existir.

            Eu vou te esquecer! Só preciso de tempo! O tempo pra mim, um tempo para nós, um tempo pro tempo dizer pro meu coração, que ele precisa de um tempo próprio. Ah tempo .... Se eu pudesse controlar as batidas do seu relógio, eu correria, velozmente, infinitamente, para que eles voassem assim como as estrelas cadentes do céu, e assim fizessem rapidamente, meu sofrimento desaparecer, para então depois de um tempo, quem sabe eu poder viver uma nova e merecida história de amor.

            Confesso que sou não sou forte o bastante para aceitar um adeus, e qual o problema disso? Eu nunca quis ser forte, eu só queria ser amado. Não me julgue, pois tenho certeza que você já passou isso. Não tente me entender, nem eu me entendo. Amar não é fácil, é não é para qualquer um, se eu soubesse disso antes teria mudado minhas rotas para não me deparar com você. Agora preciso arrumar novas rotas, dessa vez de fuga, para tentar esquecer tudo que você foi para mim.

            É, 
              quem sabe um dia 
                                            eu ainda 
                                                      consiga te esquecer ...


Ronald Onhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário