Menu Fixo

Menu-cat

28 dezembro, 2016

As mais lidas de 2016 - TOP ELEA


               Olá, eleanáticos? Como todo fim de ano, mais uma vez,  resolvemos divulgar a lista dos posts mais bombásticos de 2016. Gente, foi chuva de lacre, esse ano crescemos bastante em termos de números e curtidas. Gratidão é a palavra que resume tudo isso. Vamos ao TOP 5?!

5ª lugar – Interrogações

               Esse texto foi uma surpresa, pois a Nathália resolveu postar um texto do seu aluno Pedro Henrique, que é super criativo, e todo mundo amou o texto. O Pedro, que é fã de Harry Potter, tem 13 anos, mas já mostra um talento precoce para escrita nota-se com seu texto “Interregoções”. Enfim, o texto bombou e futuramente  o Pedro Henrique vai mandar mais textos para nós.

4ª lugar – Carpe Diem ( 04 de Abril)

               Este post também foi da Nath, nele ele apresentou o Projeto Carpe Diem, um projeto poético, cultural e filosófico que visa adoçar a vida das pessoas com poesias diárias e ações. No post a Nat comentou sobre o intuito do projeto, além de contar sobre seu primeiro contato com a ideia, que foi por meio da página “Moça, você é mais poesia que mulher”. A Nat amou o projeto e promete continuar em 2017.

3º lugar – BBB também lê ( 05 de Março)

               Essa matéria é beeeeeeeem polêmica, como todo mundo sabe os psedo literários, geralmente, odeiam realitys do tipo Big Brother Brasil. Porém, eu, @onhasroni amo, e tive a maravilhosa ideia de comentar sobre meu reality preferido e ao mesmo tempo falar de literatura. Na edição do BBB16 o povo lia para caramba, então a matéria fluiu naturalmente. Lembro que a matéria bombou no twitter. Beijinho no ombro para quem não gostou, rs.

2ª lugar – Gente como a gente com “Mariane Coelho” ( 30 de Julho)

               Nossa coluninha de maior sucesso não podia ficar de fora, sim, o “Gente como a gente”, nosso quadro de entrevistas sempre apresentar ao mundo pessoas envolvidas com cultura, literatura e afins. Dessa vez, quem lacrou a net foi a blogueira e também youtuber, Mariane Coelho. A entrevista ficou maravilhosa, aproveite e leia novamente!


1º lugar - Ei moço, cuidado com esse coração de algodão doce! ( Novembro de 2016)

               Confesso que eu não esperava que esse textinhooo iria repercutir tanto. É aquele ditado “ quando a gente acha que não, o post viraliza”, rs. Esse texto foi uma mistura de crônica com desabafo, com teor poéticos, tipo sala de frutas. Foi doído escrever, e o pessoal curtiu bastante. Fiquei muito feliz pelos comentários e compartilhamentos. Sabe o que é legal? É que as pessoas elas se identificam com esses tipos de postagens, daí o lacre é total!

               Esses foram os posts mais bombásticos, logicamente, que gostaríamos que relembrar inúmeros, mas esses foram os destaques. Obrigado por nos acompanhar, pessoal.  



Beijos, eleanáticos. 

23 dezembro, 2016

Natal cor de cinza

            Ah, natal ... Que época colorida, explosões de cores e sabores. É um pisca-pisca de colorações: vermelhos, amarelos, verdes, azuis – uma surubada de cores. Cor é vida! E a vida meu caro, precisa ser pintada de momentos agradáveis.

            Tem cor no embrulho do presente do amigo oculto, tem cor na taça de vinho, tem cor na árvore de natal montada no cantinho da sala, tem cor no vestido da matriarca da família, tem cor nos olhos saudosos de familiares que ficam tempos distantes, tem cor no abraço demorado e, principalmente, tem cor na gelatina colorida, afinal natal precisa de sobremesa para adoçar algumas amarguras não cicatrizadas. Natal é cor, meu amor.


            Mas, às vezes, o colorido fica acinzentado, e o natal fica, assim, - meio murcho tipo coca cola sem gás; tipo quando o chiclete perde o doce ou quando sua melhor amiga muda o status do facebook para relacionamento sério.

            O natal sempre foi tão mágico para mim, que eu nunca imaginei que, para alguns, o natal podia não ter cor, ou ser apenas um natal cinzento. Eu até pedi São Pedro que pudéssemos ter um clima natalino igual aqueles filmes de sessão da tarde, com bastante neve, porém o danadinho resolveu nos presentear como todo ano, e mandou chuva para nós.

            Esse época com certeza me fará refletir que enquanto eu reclamo     “Ganhei mais um vez roupa no amigo oculto”, ou “ Poxa, odeio que coloque passas no arroz”, tem muita gente precisando de roupa, precisando de comida, precisando de casa, precisando de cor, precisando de amor. Tem muita gente acinzentada, sem perspectiva de futuro, que viram suas conquistas de anos serem levadas pela enchente em segundos. Os olhos também estão acinzentado, lacrimejando toda dor canalizada na alma.


             Esse não será o melhor o natal. Mas, prefiro acreditar que chegarão melhores, afinal quando tudo estiver cinza ou amarronzado, e só lembrar que o tempo é o melhor pincel de colorir. E que aos poucos, as cores voltam a ganhar vida ...