Menu Fixo

Menu-cat

24 abril, 2017

Gente como a Gente com Simone Lacerda

            Simone Lacerda é dona do blog " Cheiros, ensaios e poesia" , escritora, fã de Adélia Prado e também professora de Português. Atualmente, a canceriana criou o canal no youtuber para espalhar poesia na rede, além disso, escreve para importantes veículos de comunicação, aqui de Cachoeiro. Por externar poesia pela alma, ela está no Gente como a Gente de hoje.



1) Até onde eu sei, você já escreve no “Cheiros, ensaios e poesia” há tempos. Mas, me conta como foi a ideia de criar o blog? E como é a repercussão do seu público - leitor, com seus posts?


            Na verdade, sempre fui apaixonada por leitura ( desde criança) e por literatura desde o começo da adolescência. Nunca fui muito familiar às ferramentas de tecnologia, mas fui percebendo que ter algo relacionado às mídias sociais seria bom, mas criei o blog sem grandes pretensões.

            Fui colocando, aos poucos, os textos que já tinha escrito há um certo tempo e outros que  foram surgindo e vi que surtia efeito. Primeiro para mim, e, depois, para outras  pessoas, pois elas pareciam gostar do que eu escrevia. Acredito que foi no blog que percebi que poderia ter público/leitor. E o mais importante, consigo fomentar o gosto pela leitura e pelo universo literário .O mais bacana é que vejo que gente de várias partes do mundo me leem, conseguindo acesso ao local e ao universal, que deve ser uns dos papéis da arte. Meu principal objetivo é possibilitar a leitura e reflexões sobre ela.


2) Recentemente, você criou um canal no youtuber e veem exalando poesia com seus trechos poéticos e catárticos. Qual seu objetivo com o canal? E para você, qual a principal diferença do público, lá do blog?


            O canal foi criado despretensiosamente ( como quase tudo que faço; não crio muitas expectativas) porque, quando fui a São Paulo, neste ano, pedi a uma pessoa querida que filmasse um trecho da leitura que fazia de Clarice Lispector e gostei. Filmamos em Paraty um trecho de um texto meu e também gostei. Mandei para os amigos e a recepção foi muito legal. Daí, surgiu a ideia.


            Ainda, estou engatinhando, mas já percebo que o canal tem uma linguagem maior, visto que trabalha também com a imagem em movimento e o áudio. O objetivo é promover a literatura, apresentar autores para que as pessoas queiram ler, apreciar.



3) Sabemos que você também está em fase de produção do seu livro “ Arame Farpado”. Conte-nos, sobre o que se trata o seu livro?


            O livro, na verdade, reúne alguns textos ( crônicas)  que já escrevi e publiquei e outros inéditos. Trata da minha compreensão pessoal sobre os fatos da vida, da ausência e presença do sujeito diante dos dilemas, dos caos que nos rondam diariamente, do papel da literatura e de autores para que nos tornemos menos bárbaros e anestesiados. Tento escrever a poesia na prosa e provocar algum estranhamento no leitor. Espero que apreciem.


4) “Arame Farpado” é um parceria com a SECULT, conte pra gente, como seu deu esse processo? Aliás, sabemos que é uma seleção muito concorrida. Qual foi sua reação ao saber da aprovação do projeto?

            Na verdade, o começo para uma iniciante em literatura ( digo em sentido de profissionalização) é bem difícil. Tive ajudas de amigos que me orientaram, como fazer esta parte burocrática, mas, sem dúvida, não esperava, até porque no Espírito Santo tanta gente escreve bem, muito bem.


            Soube por um amigo e tomei um choque; uma mistura de sentimentos bons que, naquele momento, se converteram em felicidade. É muito bom ( não vou mentir) saber que seu trabalho foi reconhecido e que, agora, você tem a oportunidade de ampliar seus cenários literários e possibilitar que mais pessoas/leitores conheçam seu trabalho.


5) Sabemos que a Literatura está presente em sua vida, desde a vida profissional até a vida pessoal. Não tem como fugir dela, né? Quem são seus ídolos literários? Quais autores são suas fontes de inspirações?

            Sem dúvida, vivo a literatura 24 horas. Leio muito, todos os dias, trabalho com meus alunos os alicerces de uma boa literatura, converso com meus amigos sobre literatura, enfim, não consigo desvincular minhas vivências do fazer literário.
            Como ídolos, tenho tantos, desde meus professores a autores, como Adélia Prado, Mário Quintana, Carlos Drummond de Andrade, minha musa Clarice Lispector, Virgínia Woolf e outros tantos que me desenham como um sujeito em movimento e em liberdade de criação.


6) O que te inspira ?

            O que me inspira são tantas coisas; a beleza, o caos, a barbárie, o mistério da vida, a alegria e gratidão em ser humana, uma música, uma fotografia, um poema... fatos do cotidiano, até os considerados mais banais, são fonte de perplexidade e, consequentemente, de criação. Enfim, a vida é a minha matéria- prima.



7) O que a escritora Simone Lacerda não permite, que a Professora de português Simone faça nos seus textos ?

            Acredito que a escritora e a professora dialogam, são amigas muito próximas. Um texto para a escritora tem que trazer fôlego, algo único e imprecisões também para que o outro ( leitor) construa ou desconstrua. A lacuna para o outro deve existir. Nada de textos didáticos demais e nem textos rígidos, preferência para os  plastificáveis é o que peço para a Simone professora. ( risos)

8) E o que a blogueira Simone Lacerda lhe acrescenta em sua carreira profissional?


            Quantas gentes! ( blogueira, escritora, professora rs) . A blogueira é uma parte de mim e me permite criar, ser mais autônoma, dona de si, ter um discurso mais empoderado, ter vieses tão importantes para que minha existência vença o conformismo e as anestesias que a sociedade impregna na gente. É ela que não me permite ser automatizada e ao mesmo tempo, refina e simplifica minhas complexidades. Na verdade, ela é a escritora alegre e corajosa que persigo diariamente. 


2 comentários:

  1. Simone é uma pessoa incrível, apaixonada pela leitura e escrita. Belíssima entrevista!

    ResponderExcluir