Menu Fixo

Menu-cat

23 julho, 2017

Afinal, o que é ser blogueiro?

Tem gente que acha que ser blogueiro é “ocupação pra gente à toa”, tipo - já que eu não tenho profissão e tenho um pouquinho de dinheiro porque não me propagar como blogueiro? Só que ser blogueiro não é nada disso.

Primeiramente que ser blogueiro é um estado de espírito. Calma, não estou entrando em assunto de religião. Meu texto é para debater, não catequizar ninguém. Se bem que a ideia é interessante! Estou querendo dizer, que “blogar” é muito maior que o físico, que o material, que o online – é catártico!



Ser blogueiro não é status, como infelizmente se propagam por aí. É um trabalho árduo, penoso, às vezes até metódico – afinal você salva o rascunho do post trezentas vezes para então jogar na rede. E mesmo jogando na rede ainda bate aquela insegurança, porque sempre vão ter os haters, dispostos a tudo desde a achar uma vírgula errônea até fazer um comentário maldoso, para causar polêmica num post qualquer. Mas, blogueiro que é blogueiro – já está acostumado com isso.

Você precisa conquistar um público leitor, escrever sobre assuntos interessantes, além disso, precisa ser ético ( ficar longe de treta é uma dica), tentar buscar furos de matérias para render acessos, e ainda precisa se preocupar com a monetização e layout do blog.


Pra ser blogueiro necessariamente tem que ter um blog? Atualmente, não! Porém, um bom blogueiro tem que ter um portal ou local no qual ele armazena suas opiniões, debate sobre temáticas específicas ou dê dicas sobre o assunto no qual ele é especialista. Daí, percebemos a diferença do blogueiro raiz x blogueiro nutella.

Afinal blogueiro nutella nasce em qualquer esquina, que me desculpem o tom grosseiro, mas não estou mentindo. É, tem que gente que banaliza o negócio. Acha que é assim “vou virar blogueiro de um dia pro outro”. Gente, blogar é sério! Precisa ter planejamento, organização, estratégia de marketing, postagens direcionadas senão fica fácil.



  Sempre fomos considerados no cenário da informação os “café com leite do pique-esconde”. Aqueles que fazem o trabalho árduo, mas que por fim são apenas amadores querendo ganhar espaço ou chamar atenção. Sofremos preconceito de muitos veículos de comunicação ( graças a Deus tenho ótimas amizades com meus amigos jornalistas daqui de Cachoeiro),  mas hoje, acredito que os blogueiros são aceitos com mais naturalidade. Afinal conseguimos entrar numa coletiva de imprensa sem sermos barrados, isso é bem pós-moderno, visto que antigamente precisávamos pular muros ou nos disfarçar de autoridades para conseguirmos apenas uma fotinha com qualquer famoso, rs.



O mundo virtual está aberto pra todo tipo de pessoa que tenha objetivo de compartilhar ideias construtivas e construir debates enriquecedores. Seja youtuber, instabloguer, digital influencer ou blogueiro. Todos são bem-vindos. Ninguém é melhor do que ninguém. Mas é primordial destacar as diferenças entre tais modalidades, afinal ser blogueiro já não é mais lazer, tornou-se profissão. 

Um comentário:

  1. Belíssimo texto! Ser blogueiro é ocupação sim, e pode render muito mais que gente que trabalha tradicionalmente. Eu que o dica.

    www.sramaia.blogspot.com

    ResponderExcluir