Menu Fixo

Menu-cat

01 dezembro, 2017

Resenhas do Abou: Extraordinário, de R. J. Palacio

           
           Olá, queridos eleanáticos. Tudo bom com vocês? Hoje é dia de mais uma resenha do Abou. Dessa vez, o livro a ser comentado é Extraordinário, da norte-americana R. J. Palacio, que terá sua versão cinematográfica lançada no Brasil no dia 07 de dezembro. Com certeza, as salas de cinema do país lotarão por causa desse filme, já que o livro fez e ainda faz muito sucesso por aqui, desde 2012, quando foi lançada a sua primeira edição. Mas enquanto o filme não estreia, confira AQUI o último trailer.


         O romance conta a história de August Pullman, conhecido por Auggie, que tem uma doença genética, responsável por uma deformação facial. Ele é extremamente maduro, apesar de muito pequeno, e já passou por diversas cirurgias e por vários dias no hospital. A obra se inicia com a entrada de Auggie na escola, um universo até então muito estranho para ele, que não costumava interagir com outras crianças de sua idade. No início, o menino sofre muito com o preconceito dos colegas de classe, que o discriminam pela sua condição física. Embora todo esse preconceito, Auggie resolve não tratar os demais com grosseria e falta de educação, mas sim com amor e gentileza, mais uma prova de sua maturidade.

         A narração do livro é feita por Auggie e por outros personagens da obra, de forma intercalada. Assim, é possível perceber ainda melhor as características dos personagens, como a doçura de Via, irmã do protagonista. Com esse estilo tão peculiar, a autora acertou e muito, já que são mantidos também os traços de escrita de cada um, como o modelo de Justin, que não utiliza letras maiúsculas, adotando uma escrita única e muito ligada ao cotidiano.


         Auggie consegue comover a maioria de seus leitores. Eu, quando ganhei esse livro de presente, já sabia de sua boa repercussão, mas não imaginava ser envolvido e ser encantado de tal forma por um simples livro infantojuvenil. Porém, a questão é exatamente essa: ‘‘Extraordinário’’ é muito mais do que um livro infantojuvenil qualquer, é um livro muito mais humano, emocionante, comovente e sensível. O jeito de Auggie ser, com certeza, é um dos mais importantes fatores responsáveis por toda essa emoção. Esse jeito amoroso, consciente, compreensivo, engraçado, na medida do possível.


         Além disso, a linguagem é sempre muito importante em um texto, já que, em alguns casos, o seu rebuscamento afasta os leitores. Nesse caso, temos uma linguagem bem simples, informal, devido ao fato de os narradores serem crianças e adolescentes, coincidindo com a idade da maioria das pessoas que leem a obra. A alternância de narradores só contribui para o aumento da aproximação entre eles e o leitor. Via, a irmã de Auggie, em especial, conseguiu me encantar, por toda a sua sensibilidade com o irmão diferente. Logo no primeiro capítulo narrado por ela, há uma mensagem linda:

‘‘August é o Sol. Eu, a mamãe e o papai giramos em volta dele. O restante de nossa família e de nossos amigos são asteroides e cometas flutuando ao redor dos planetas que orbitam o do Sol. ’’

         Dessa maneira tão única e sensível, Via inicia a sua narração após a chegada do irmão, deixando claro o quanto positiva foi essa chegada, surpreendendo aqueles que achavam que ela teria raiva e ciúmes excessivos do irmão, que recebe maior atenção dos pais e dos familiares.
         A partir do livro, foi possível também perceber a evolução de August enquanto pessoal. Enquanto no início ele tinha muito medo de ir à escola, no final, ele mostra-se mais forte para enfrentar qualquer obstáculo, passando a se aceitar, um passo fundamental.
         Comentando brevemente a respeito da edição e da diagramação, só tenho o que elogiar, começando pela belíssima capa. Não sei se serão lançadas outras capas baseando-se no filme, mas faço questão de aguardar a atual, azul, comigo para sempre. De forma bem especial, a separação entre os narradores também foi muito bem organizada pela Intrínseca. Belíssimo trabalho da editora!


         Portanto, chego ao fim de mais uma resenha elogiando muito e aplaudindo de pé R. J. Palacio por esse livro INCRÍVEL, EXTRAORDINÁRIO, que ocupa um lugar especial na minha prateleira e, principalmente, no meu coração e na minha memória. Recomendo que todos leiam e que divulguem para mais pessoas. Também acho que seria maravilhoso se as escolas adotassem esse livro incrível, que tem mensagens belíssimas. Entretanto, isso não quer dizer que a obra não é ideal para adultos. Muito pelo contrário, ela é para TODOS, até para adultos, já que a reflexão sobre a nossa vida e como os nossos problemas podem parecer tão pequenos diante dos problemas do outro. Outra mensagem importante levantada pela obra é a de que não devemos nos deixar abater pelo que falam, pois devemos nos importar com a nossa essência.





Nenhum comentário:

Postar um comentário