Menu Fixo

Menu-cat

12 fevereiro, 2018

Violência: até quando, Brasil?



          Vivemos um caos. Um caos? Sim, um caos. Crianças morrem por causa da violência no Rio de Janeiro. Estrangeiros são assaltados em pleno Carnaval no Rio. Berço de bebês servindo de esconderijo para armas e drogas em Sampa. Bebê é morto no interior de São Paulo. Homem é executado dentro do carro também em Sampa. Bandidos fazem arrastão em Niterói, cidade próxima ao Rio. O Carnaval é utilizado por bandidos como ótima oportunidade para roubar, furtar, assediar.

Resultado de imagem para violencia g1

          Tristeza. É o que define milhões de brasileiros com essas notícias tão tristes. Essas são apenas uma pequena parte das divulgadas nos últimos dois dias. Sim, em dois dias aconteceram tantas barbaridades, tantas covardias. Inocentes sendo mortos, seja em assalto ou pela cruel bala perdida. E são só de dois estados brasileiros. E nos outros? E no interior, onde as notícias dificilmente chegam à mídia? Quantas Marias e quantos Josés mais precisarão morrer para que nossas autoridades resolvam tomar medidas imediatas e eficazes? Quanto tempo isso vai demorar? Mas será mesmo que isso vai acontecer? Será que um dia a violência vai diminuir? Não sabemos. Só sabemos que, enquanto os políticos discutem planos e projetos, por aí, nas ruas do Brasil, centenas de inocentes morrem. A violência não espera. A violência não tem mais lugar. Não tem horário. Não tem alvo. Qualquer um pode ser o próximo alvo. Pode ser você, posso ser eu, podemos ser todos nós.

          Diante dessas atrocidades todas, o sentimento que cultivamos dentro de nós mesmo acaba sendo o medo. O medo de sair de casa. O medo de usar certa roupa. O medo de ser baleado enquanto volta ou vai ao trabalho. O medo de andar com objetos de valor. O medo, o medo, o medo... Mas será que eles, os engravatados, têm esse mesmo medo? Creio que não, afinal, estão cercados de seguranças e escolta. Enquanto isso, nós, meros cidadãos, vivemos com o medo e a tristeza em nossos corações. A tristeza de ver um país tão rico, tão diverso, tão plural, tão bonito sendo derrubado pela violência, pela brutalidade.

          Nós sofremos e encaramos de perto toda essa crueldade. Já as autoridades resolvem fazer pronunciamentos dizendo para as pessoas não levarem celulares e outros objetos de valor para as ruas. Como assim? Não temos mais nossa liberdade. É, é isso mesmo. Diante dessa situação catastrófica, desse caos que citei acima, nos resta ficar em nossas casas chorando e torcendo por um país melhor? Não sei muito bem se é isso que devemos fazer.

          Culpamos muito as autoridades, afinal, na teoria, elas são as responsáveis pela resolução dos programas públicos. Mas será que nós, cidadãos, podemos fazer algo para deixar nosso país mais pacífico, para torna-lo um lugar melhor para as crianças viverem e não serem assassinadas de forma tão brutal? Sim, podemos fazer muitas coisas. Temos que cobrar, que mostrar nossa reivindicação e pensar muito também antes de votar. Nossa sociedade precisa de união, precisa enxergar todos esses problemas, em especial, a violência, que tira das famílias os inocentes e muitas vezes os policiais, aqueles que estão também lutando pela segurança.

Resultado de imagem para violencia ate quando

          Difícil expressar tanta tristeza e tanto medo em algumas palavras. Esse foi meu desabafo. Meu desejo é o de PAZ, apenas ela. O Brasil pede PAZ!!!
         



Nenhum comentário:

Postar um comentário